Reportagem de Capa

FERTILIDADE FORJADA PELO MANEJO

Reportagem

A necessária e imprescindível adubação química das lavouras brasileiras é apenas uma das ações para possibilitar à planta manifestar em frutos, inclusive os econômicos, o máximo das potencialidades que o seu melhoramento genético possibilita. A deposição de minerais químicos ao solo, cuja matéria-prima para formulação foi importada a peso de dólar, terá efeito inócuo se não for providenciada ao solo uma série de condicionantes químicos, físicos e biológicos para que o ambiente receba de braços abertos e ofereça o que têm de melhor à ilustre visitante de todos os anos: a planta comercial

Leandro Mariani Mittmann
leandro@agranja.com

O que é possível cultivar em 107 milhões de hectares? Para se ter uma ideia do tamanho dessa superfície, significa 13% do território brasileiro. Ou 1,8 vez a área total de grãos do Brasil na safra 2017/18; ou três vezes a extensão de soja; ou 6,2 a de milho; e quase 100 vezes a área dedicada ao algodão. Pois, segundo cálculos de especialistas, não fossem as tecnologias agrícolas empregadas pelos nossos produtores, seria necessária a agregação de 107 milhões de hectares para produzir os quase 230 milhões de toneladas de grãos esperados para 2017/18 – colhido sem 60 milhões de hectares. E entre essas tecnologias fundamentais para o País ter se tornado um player agrícola está a adubação química. Porém, não é o simples despejar na lavoura o custoso adubo químico, e sim a implementação contínua e sem tréguas de essenciais zelos com as condições químicas, físicas e biológicas do solo.

A importância da fertilização para a produção agrícola em larga escala, não apenas pela comparação anterior, dispensa justificativas. O tema é até preocupação da Orga...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!