Primeira Mão

Mais PIB, menos gente

Primeira

O PIB do Brasil foi sustentado nos primeiros sete meses do ano pelo agronegócio, segundo conclusão de levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP/Esalq. É que a safra recorde estimulou a atividade em outros segmentos, impactando no crescimento de 5,81% no PIB-volume do agronegócio (de janeiro a julho). “Desse modo, o desempenho positivo da agropecuária pôde amenizar o efeito das retrações da indústria e dos serviços sobre o PIB nacional”, destaca a instituição. O PIB brasileiro recuou 0,04% na comparação do primeiro semestre de 2016 com o mesmo período deste ano, uma queda que seria mais drástica não fosse o campo.

Porém, conforme o Cepea, não ocorreu aumento de empregos no setor agrícola. No primeiro semestre de 2017, houve queda de 3,1%, ou mais de 580 mil pessoas, no total de pessoas empregadas. As principais reduções foram na agropecuária e para trabalhadores que atuavam por conta própria e com baixa escolaridade. “Ao mesmo tempo, e como um resultado desse movimento, os rendimentos médios do trabalho obtidos no agronegócio tiveram ganho real na comparação entre semestres”, acrescenta o estudo.


Prêmio BNDES de Boas Práticas

O Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais – Prêmio BNDES SAT tem inscrições abertas até 12 de dezembro. A iniciativa, realizada em parceria com Embrapa, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), irá contribuir para que as práticas de agricultura tradicional do Brasil concorram, pela primeira vez, a um importante reconhecimento internacional. Podem participar instituições de direito privado sem fins lucrativos e as premiações são de R$ 70 mil a cinco ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!