Fronteira Agricola

SEALBA: novo promissor horizonte para a soja

Estudo da Embrapa Tabuleiros Costeiros traçou as perspectivas promissoras para a oleaginosa em municípios da região que é o acrônimo de Sergipe, Alagoas e Bahia (Nordeste do estado). São mais de 5 milhões de hectares de “significativo potencial agrícola”, segundo define o artigo a seguir

Sergio de Oliveira Procópio, Hélio Wilson Lemos de Carvalho, Antonio Dias Santiago, pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros

A partir de estudos da Embrapa Tabuleiros Costeiros foi identificada uma região com significativo potencial agrícola, que engloba municípios de Sergipe, Alagoas e Nordeste da Bahia. A região foi denominada Sealba, um acrônimo formado pelas siglas dos estados componentes, de forma semelhante à região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), um dos mais pujantes polos de produção de grãos no Saulo Coelho País atualmente. Em termos de área, 33,2% da Sealba se encontram no Estado de Sergipe (1.707.815 hectares), 36,1% em Alagoas (1.859.438) e 30,7% na Bahia (1.581.688 ha), sendo a área total da Sealba de 5.148.941 hectares. A união desses três estados gera um fortalecimento territorial que pode facilitar a atração de investimentos públicos e privados, voltados ao desenvolvimento agrícola da região.

FRONTEIRA

A região da Sealba pode ser dividida em relação aos seus biomas característicos. Na região mais próxima ao litoral, predomina a Mata Atlântica em uma paisagem denominada de Tabuleiros Costeiros. A região interiorana é caracterizada por uma transição entre a Mata Atlântica e a Caatinga, sendo chamada de Agreste. Apesar da proximidade geográfica entre essas duas regiões, o solo, a temperatura e o regime pluviométrico são distintos, o que obriga o estudo particul...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!