Glauber em Campo

A TÃO SONHADA REFORMA TRABALHISTA

Glauber

GLAUBER SILVEIRA

Após muita polêmica e discussões, com direito a manifestações no Senado, afinal a reforma trabalhista vai mudar a vida de muitos sindicalistas, e é realmente a mudança na desobrigação da contribuição sindical que gerou tanta controvérsia. Além de outros pontos onde sindicalistas dizem tirar direito de trabalhadores. Discussões à parte, afinal, toda lei nova tem seus impactos, o presidente Michel Temer sancionou no dia 13 de julho o projeto de reforma trabalhista aprovado pelo Congresso Nacional.

O setor produtivo, seja rural ou industrial, sem dúvidas comemora essa nova lei, pois ela possibilita a ampliação de empregos e se adapta às necessidades atuais das relações trabalhistas. A reforma moderniza a legislação trabalhista ao promover maior flexibilidade nas modalidades de contratação e demissão, assim como ao dar mais poder para a negociação entre sindicato e empresa, que poderão, a partir de agora, se sobrepor à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). É o que chamamos de acordado sobrepor ao legislado. Os acordos coletivos passam a ter maior legitimidade.

A reforma trabalhista traz maior segurança jurídica nas relações entre produtores e empregados rurais, afinal, essa é a primeira grande reforma desde a edição da CLT, em 1943. Desde então, as relações de trabalho se modernizaram. Embora a reforma não trate especificamente do trabalhador rural, trará alguns reflexos à categoria como, por exemplo, a homologação da rescisão contratual, que não precisará mais passar pelo crivo dos sindicatos; equiparação salarial que somente se dará para funcionários da mesma propriedade.

As principais mudanças foram as seguintes: as férias poderão ser fracionadas em até tr...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!