O Segredo de Quem Faz

Lavoura de RECORDES

null

Denise Saueressig
denise@agranja.com

As nuvens carregadas sobre a lavoura de soja ajudaram a garantir o sorriso do produtor Marcos Seitz, de Guarapuava/PR. Afinal, uma produtividade média de 79 sacas por hectare precisa da colaboração do clima para ser alcançada. Mas um número tão expressivo – a média nacional da safra 2016/17 é de 56 sacas por hectare – requer esforços que vão bem além da torcida pela chuva na hora certa. O trabalho que valoriza o manejo conservacionista, com práticas como o plantio direto e a rotação de culturas, rendeu ao produtor paranaense mais um número inédito este ano: 149,08 sacas por hectare. Esse foi o rendimento na área vencedora do Desafio Nacional de Máxima Produtividade, promovido pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb). Foi a segunda conquista dos Seitz no concurso que teve mais de 5 mil inscritos nas diferentes regiões do País. O volume colhido também representa um recorde para as nove edições do desafio. Na entrevista a seguir, o engenheiro agrônomo de 25 anos conta sobre o trabalho da família e revela o caminho percorrido para uma lavoura bicampeã.

A Granja – Como está estruturada a atividade agrícola da família Seitz?

Marcos Seitz - Nossa área total de cultivo é de 1,1 mil hectares divididos em duas fazendas, a São Bento, em Guarapuava, e a Santo Izidoro, que fica em Santa Maria do Oeste/PR. Produzimos no verão 850 hectares com soja e 250 hectares com milho. No inverno, cultivamos cevada, trigo e aveia. Recentemente começamos a produzir cavaco de madeira para a cooperativa Agrária, da qual somos associados. Temos uma área de reflorestamento com pinus e, quando era feito o raleio das árvores, o resíduo não tinha um...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!