Na Hora H

 

SÓ O BRASIL SERÁ CAPAZ DE DERRUBAR SUA PRÓPRIA CAPACIDADE PRODUTIVA

ALYSSON PAOLINELLI

Veja o que está acontecendo agora nas carnes. Depois que a “porta foi arrombada, botar tranca não resolve mais”. O desastre já aconteceu e a credibilidade interna e externa do Brasil já foi tremendamente arranhada. Outra coisa: “filho feio não tem pai”. O fato aconteceu pelas pressões políticas nas nomeações dos gerentes da fiscalização. Cargos absolutamente técnicos e que nunca poderiam ser objeto de ação política eleitoreira. Agora ficam procurando quem indicou? Já é muito tarde. O mal já foi feito. Vejo na imprensa este ou aquele político se justificando, este ou aquele ministro fazendo que não foi com ele que o problema existiu. O fato principal é que o estrago está aí.

Vou dizer uma coisa: ainda bem que temos agora um ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que tem credibilidade e está de forma correta enfrentando o problema. Ele efetivamente tem credibilidade suficiente para botar as coisas nos devidos lugares. Está agindo de forma clara e com a necessária lucidez, evitando que os males sejam maiores que poderiam ser. É um profissional competente, que venceu pelo seu próprio esforço e capacidade, e se é político não depende de negociações para se manter na política. É independente e pode arrumar toda essa maracutaia que fizeram no nosso Ministério da Agricultura, que em um país como o Brasil precisava ser um exemplo a todo o mundo. Não vai aceitar nenhum arranjo e nem deixar passar para arrumar amanhã. Ele não é disso.

O ministro, muito mais do que ninguém, sabe dos efeitos desastrosos dessa safadeza toda. Ele sabe que não é só o produtor de proteínas nobres quem vai perder. Sabe que esse fogo é como um rastilho em paiol de pólvora e que toda a classe rural vai perder. Sabe que as prestadoras de serviços e as indústrias estão em primeira hora sendo muito atingidas. Sabe que os produtores de grãos vão perder. Sabe que os exportadores, com seus equipamentos, vão perder. E ele sabe muito mais: que todos vamos mais uma vez pagar essa conta. Sabe inclusive que, no final, até o nosso consumidor será o grande prejudicado, e que a maior parcela do custo da brincadeira são eles quem vão pagar. Ministro, vá em frente. Esse desastre está nos servindo de lição. Esperamos todos que ele não se repita mais. Estamos confiando em sua ação.

Gostaria de tecer um comentário de quem vive há mais de 50 anos nessa área. Estamos atingindo de fato um dos maiores potenciais do nosso País nos dias de hoje. A proteína nobre vai ser o alimento mais requerido nos próximos anos. Existe uma afirmação que, a cada 20% de aumento na renda de uma família, ela dobra o consumo de proteínas nobres. Aqui no Brasil isso também já foi comprovado no estudo de dois economistas que eu admiro e respeito muito, o Dr. Eliseu Andrade Alves, timoneiro da Embrapa, e do seu amigo Eduard Show, professor de economia em Purdue, Estados Unidos, e que foi assessor de um Presidente dos Estados Unidos. Eles comprovaram que esse fato se repete também aqui no Brasil se repete. Com a evolução que está havendo nos países populosos, as demandas futuras de proteínas nobres serão quase incalculáveis. Nenhum país será capaz de concorrer com o Brasil, na produção, na qualidade e nos preços dessa proteína. Veja onde estamos mexendo. Não é de apavorar?

Engenheiro agrônomo, produtor, presidente-executivo da Abramilho e ex-ministro da Agricultura