Inovação

 

STARTUPS prometem revolucionar a agricultura

Desenvolvimento de aplicativos de gerenciamento, sistemas de gestão de agricultura digital e de precisão, equipamentos e sensores, sites e mercados online são algumas das tendências desse perfil de empresa

Maikon Schiessl, diretor do comitê de Agtech da Associação Brasileira de Startups (ABStartup), fundador do blog Agribase

Dentre as muitas soluções existentes e que nasceram em startups, há, por exmplo, ferramentas de geolocalização e análise de dados, gerenciamento, cálculo de insumos, defensivos e irrigação

O agronegócio está mudando a passos rápidos e as startups do setor têm se tornado cada vez mais relevantes. Porém, quais são os impactos desses novos empreendimentos no agronegócio e por que a agricultura não será mais a mesma? A pergunta que inicia essa discussão é, sem dúvida, uma das mais comuns e que passa pela cabeça de todos os agricultores. Afinal, a cada dia o mer- John Deere cado agro tem dado mais visibilidade às startups, consideradas como um dos mecanismos de evolução desse mercado. Apesar do conceito de startup não ser recente (afinal, elas já existem nos padrões atuais há muitos anos), no agronegócio, essa não é uma realidade tão conhecida. No entanto, com o crescimento exponencial dos resultados da agricultura, é cada vez mais frequente ouvirmos sobre essas soluções inovadoras. Mas, afinal, o que são startups e para que elas servem?

O que são startups — Antes de falarmos das particularidades da área do agronegócio, vale relembrar o conceito de startup, já que ainda existe muita confusão mesmo entre aqueles que já atuam nesse mercado. Segundo o entendimento mais recente sobre o tema, startup consiste em um grupo de pessoas que trabalham sobre uma ideia ou ideias em comum, em um cenário de extrema incerteza, buscando um modelo de negócio que seja repetível, ou seja, que possa ser entregue a um número potencialmente ilimitado de clientes, sem que isso afete os objetivos do produto ou serviço, e escalável, que possa crescer cada vez mais, sem que isso impacte no modelo de negócio.

Analisando o conceito e seus dois fatores-chave, uma startup não é simplesmente uma pequena empresa ou um negócio de custos muito baixos. Ela é, na verdade, uma empresa voltada ao desenvolvimento de uma ideia ou inovação, visando torná-la rentável e permitindo que gere não somente riquezas, mas soluções úteis para o mercado em que atua.

O que as startups têm a oferecer — Considerado um dos setores de maior crescimento dos últimos anos e também um dos mercados de maior potencial para o futuro, o agronegócio é fundamental para o desenvolvimento econômico e social. Devido à importância desse mercado, as startups têm ganhado mais espaço na área, com maiores investimentos, inovação e visibilidade. Por meio delas, estão sendo oferecidas ferramentas e tecnologias voltadas tanto para as grandes empresas do setor, quanto para auxiliar o desenvolvimento do pequeno produtor. Desenvolvendo ferramentas, processos e tecnologias para solucionar dificuldades, abrir novas possibilidades e mesmo potencializar os resultados obtidos na agricultura, as startups têm grande importância no desenvolvimento do mercado de agronegócio.

Dentre as soluções existentes e que nasceram em startups, é possível citar ferramentas de geolocalização e análise de dados, desenvolvimento de políticas de gerenciamento agrícola, sensores voltados ao mercado agrícola, cálculo de insumos, defensivos agrícolas e irrigação, programas de análise de resultados laboratoriais do solo, das plantas e da água, entre outras.

Cenário internacional — Quando analisamos em um panorama global, é possível perceber que o mercado voltado às soluções e aos projetos dentro do agro é um dos que mais crescem e que prometem fomentar o crescimento econômico mundial nos próximos anos. Recentemente, a Monsanto, uma das maiores empresas de agricultura e biotecnologia do mundo, realizou a compra da Climate Corporation, empresa que começou no mercado de agronegócio como uma startup voltada ao setor, por um valor próximo a US$ 1 bilhão (mais de R$ 3 bilhões cotação atual), uma das maiores negociações da história no setor. Além da compra realizada visando obter o conhecimento e o potencial desenvolvido pela startup, a Monsanto também vem investindo valores consideráveis em startups do setor, por meio de processos de aceleração, com aportes financeiros que chegam a R$ 1,5 milhão por startup.

Considerado pelos especialistas como um dos mercados mais interessantes para este ano, é esperado que os números das startups de agronegócio no mundo continuem crescendo, trazendo ainda mais inovação, tecnologia e rentabilidade para a agricultura e a pecuária. Segundo dados de pesquisas realizadas no ano de 2015, o mercado de startups voltadas ao agronegócio (alimentos, agricultura e pecuária) alcançaram a incrível marca de US$ 4,6 bilhões, o que equivale a mais de R$ 15 bilhões.

O valor notado ultrapassou as previsões dos analistas (US$ 4,1 bilhões) e praticamente dobrou o investimento realizado em 2014 (US$ 2,36 milhões). Os dados concretos dos investimentos em 2016 ainda não foram anunciados, mas espera-se que os valores tenham ultrapassado a marca atingida em 2015. Tal crescimento se deve, em grande parte, aos setores de comércio online de alimentos e insumos agrícolas, da agricultura de precisão (com robótica, automação e drones), a agricultura digital, com suas ferramentas e sensores, e também as tecnologias de cuidados com a água, como irrigação automatizada.

Panorama no Brasil — Considerado um dos países com maior potencial no agronegócio e, consequentemente, um dos mais relevantes em startups do setor, o Brasil conta com um grande número de empresas focadas especificamente na área. Segundo dados obtidos pela Associação Brasileira de Startups (ABStartup), durante o ano de 2016, existem mais de 75 empresas e startups com seu modelo de negócios focado especificamente no agro, sendo que muitas outras empresas também contam com soluções na área ou em áreas correlatas.

A mudança de perfil do produtor agrícola e também na visão de negócios dos agricultores também têm contribuído para que essa evolução seja notada de forma mais direta, já que é cada vez maior o número de agricultores conectados à Internet, com acesso às informações e tendências do mercado. Além disso, a possibilidade de transformação da interação do homem com o campo, promovida pela soluções desenvolvidas pelas startups, tem feito com que novos conhecimentos, equipamentos e tecnologias cheguem a um número maior de pessoas, aumentando a produtividade e os resultados.

Schiessl: “Startup é um grupo de pessoas que trabalham sobre uma ideia ou ideias em comum, em um cenário de extrema incerteza, buscando um modelo de negócio que seja repetível”

Tendências — A perspectiva de crescimento e expansão das startups de agronegócio é muito animadora sendo que grandes e pequenas empresas estão buscando e oferecendo soluções interessantes para o mercado agrícola e pecuário, visando torná-lo ainda mais rentável e produtivo. É possível afirmar que, entre as tendências com maior potencial para o setor, estão o desenvolvimento de aplicativos de gerenciamento agrícola, sistemas de gestão de agricultura digital e de precisão, equipamentos e sensores voltados ao agro, sites e mercados online de produtos e serviços com enfoque no agronegócio e outras ferramentas que transformarão o agronegócio brasileiro e mundial.

Porém, esse é apenas o começo da revolução das startups no agronegócio. Muitas mudanças e inovações ainda estão por vir porque se trata de um mercado extremamente dinâmico. Assim, só resta uma certeza ao produtor rural: sua lavoura nunca mais será a mesma.


EXEMPLOS DE STARTUPS DO AGRO

Algumas startups do campo têm ganhado espaço no mercado e sendo adotadas por um grande número de agricultores, recebendo apoio de importantes nomes do setor e aportes de empresas nacionais e internacionais. Dentre elas, a Aegro e a Organomix.

Aegro: startup criada no Rio Grande do Sul que tem como objetivo oferecer ao agricultor uma plataforma mais eficiente para a gestão agrícola, onde informações sobre controle de estoque, preparo do solo e áreas cultivadas podem ser inseridas e analisadas de forma prática e eficiente. Fundada em 2015, a startup desenvolveu um software que auxilia o agricultor em todos os processos de gestão de sua lavoura, da semeadura à colheita, por meio da análise de dados e visando aumentar a produtividade do campo e diminuir desperdícios.

Organomix: Desenvolvido pela i5 Empresas, é um e-commerce (comércio ou mercado virtual) voltado à comercialização online de produtos orgânicos. Esse tipo de produto tem ganhado espaço no mercado nacional com o crescimento da busca por uma alimentação mais saudável, sendo que o site só comercializa itens orgânicos, naturais e integrais, sem a adição de corantes, gorduras trans ou adoçantes.