Primeira Mão

 

New Holland com novo diretor de Marketing

A New Holland tem novo diretor de Marketing para a América Latina. Eduardo Kerbauy de Freitas Luís é engenheiro mecânico, tem MBA em Administração e 17 anos de CNH Industrial. Antes esteve na Iveco, trabalhou na Itália, Inglaterra e França e está há 12 anos na New Holland Agriculture. “A expectativa é dar continuidade ao crescimento da marca na América Latina e especialmente no mercado brasileiro, trabalhando, sobretudo, no desenvolvimento de novos produtos e serviços que respondam as necessidades de todos os segmentos de clientes”.


ABC DO CULTIVO DE ORGÂNICOS

Quer saber muito sobre como cultivar orgânicos? Pois o Ministério da Agricultura lançou o trabalho Fichas Agroecológicas: Tecnologias Apropriadas para a Produção Orgânica. São 5 mil exemplares para núcleos de agroecologia, universidades e projetos de extensão com orientações sobre manejo do solo, preparo de insumos para sanidade (animal e vegetal), manejo de daninhas e adubação verde, entre as demais práticas. O material também está disponível nos sites do Ministério, www.agricultura. gov.br, e em agroecologia.gov.br.


Epagri de parabéns!

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) completou 25 anos em 20 de novembro. “Somos uma instituição moderna, formada por gente inovadora e disposta a questionar os princípios estabelecidos, sempre em busca de maneiras de produzir mais, com maior rentabilidade e menos impacto para o meio ambiente”, ressalta Luiz Ademir Hessmann, presidente da instituição que, a cada ano, promove 120 mil atendimentos com foco no desenvolvimento sustentável da agropecuária catarinense e apoio a jovens e ao empreendedorismo rural. A Epagri nasceu da fusão de três empresas públicas: Associação de Crédito e Assistência Rural de Santa Catarina (Acaresc), Empresa Catarinense de Pesquisa Agropecuária (Empasc) e Associação de Crédito e Assistência Pesqueira de Santa Catarina (Acarpesc).


Biológicos em alta

O mercado de defensivos biológicos está em expansão. No mundo, o crescimento anual é de 10%, e este ano deve atingir US$ 3 bilhões, 5% do mercado total de defensivos, incluindo os químicos. No Brasil, a perspectiva é de uma expansão média anual de 15% para os próximos anos, e hoje representa 2% de um volume anual de defensivos. Os números foram expostos no Biocontrol Latam 2016 – Conference & Exibition, no mês passado, em Campinas/SP. “A tendência de expansão do uso de defensivos biológicos é um movimento que não tem volta no Brasil e no mundo”, atestou Pedro Faria Jr., presidente da Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABC Bio).


Mulheres mais, mais e mais

O agronegócio é um setor de predomínio masculino, sabe-se, mas as mulheres vêm ganhando espaço. E, mais do que isso, elas são mais preparadas, mais conectadas, mais comunicativas, mais abertas à inovação tecnológica e têm visão mais abrangente do negócio. A constatação não decorre da intuição de alguém, seja homem ou mulher, mas da pesquisa Mulheres no Agronegócio Brasileiro, encomendada pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e pelo Instituto de Estudos do Agronegócio (IEAg), realizada pela Fran6 Pesquisa e Biomarketing Consultoria & Agência, e divulgada no recente Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.

O levantamento, que ouviu 301 mulheres, indicou também que 60% das representantes do sexo feminino que atuam no campo têm curso superior, 25% possuem pós-graduação e 88% são independentes financeiramente. Quanto à Internet, 69% acessam a rede todos os dias (na população média é 48%) e 80% dessas usam redes sociais. O lado negativo é que 71% das entrevistadas já tiveram alguma experiência de discriminação na atividade por serem mulheres. A exemplo, não foram acatadas pelos funcionários (43%) e sentiram resistência da família quando manifestaram interesse pelo negócio (41%).


Campo otimista & confiante

O Índice de Confiança do Agronegócio (ICAgro) do terceiro trimestre, mensurado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), alcançou 106,3 pontos, alta de 4,2 pontos em relação ao trimestre anterior. A pontuação é recorde na série iniciada em 2013. Segundo a metodologia da pesquisa, pontuação igual a 100 pontos corresponde à neutralidade, e resultados acima disso indicam confiança. Entre as variáveis que contribuíram para o resultado do ICAgro, o destaque ficou novamente com o item “economia do Brasil”, com alta de 14 pontos, atingindo um patamar de 98 pontos, marca superior a qualquer sondagem anterior.


SOMOS TODOS ALGODÃO

A Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA) e da Bayer, lançou um Plano de Incentivo ao Uso do Algodão, uma resposta do setor ao crescente uso de tecidos sintéticos. Segundo a Abrapa, o movimento foi articulado a partir do estudo que analisou a produção de algodão no Brasil, e propõe um plano de ação de curto e longo prazos para conscientizar a indústria e os consumidores dos benefícios da matéria- -prima produzida em nossas lavouras. “Os benefícios do produto sintético são superficiais e de curto prazo. O algodão é natural, confortável e saudável, aspectos muito valorizados na moda íntima, infantil e cama mesa e banho”, justifica o presidente da Abrapa, João Carlos Jacobsen Rodrigues. A primeira ação foi o lançamento da campanha “Sou de Algodão”, na Semana da Moda de São Paulo.


CIB MAIS INTERATIVO

O Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB), organização que há 15 anos difunde conteúdos técnicos de maneira acessível sobre organismos geneticamente modificados, renovou sua identidade visual e as ferramentas de comunicação digital. No site os conteúdos foram elaborados para permitir uma navegação que estimule o aprofundamento dos assuntos por meio de recursos gráficos, vídeos e links. Inclusive foi criado o Tire Suas Dúvidas, com centenas de perguntas/respostas, e a área Explore os Conceitos, com explicações resumidas dos principais temas. Já nas redes sociais – Facebook, LinkedIn e Youtube, muito mais conteúdo. A ideia, explica Adriana Brondani, diretora-executiva do CIB, é oferecer mais interatividade. “Queremos ouvir o público e compartilhar informações cada vez mais relevantes”. Quer saber mais? www.cib.org.br


COP22: Brasil elogiado

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, destacou que os esforços do Brasil para a preservação do meio ambiente foram reconhecidos na Conferência do Clima (COP22), em Marrakech, no Marrocos, mês passado. Ele se mostrou satisfeito ao ouvir de lideranças e de personalidades importantes, como a secretária do Clima da ONU, Patrícia Cantellano, o reconhecimento da importância das políticas da produção agrícola no Brasil. “Por exemplo, o Brasil é líder mundial no recolhimento de embalagens de agrotóxicos. De tudo que levamos para o campo, 97% trazemos de volta. Quando olho os números da França ou de outros países, vejo que são incrivelmente menores”, disse.


Exportações recordes

As exportações do agro mantêm-se recordes em volume. De janeiro a setembro, o crescimento foi de 12,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Mas a atratividade das exportações caiu 18%, visto a queda das cotações em dólares das commodities + valorização do real diante da moeda americana. Os produtos com maiores crescimento em embarques foram milho (52,4%) e etanol (44,2%), além de carne suína (41%), açúcar (32,8%), algodão pluma (26,6%), suco de laranja (21%), madeira (18%), carne bovina (8,4%), frango (6,1%), farelo de soja (5,2%), celulose (2,8%) e soja grão (0,1%). Já as exportações de café, óleo de soja e frutas diminuíram. O levantamento é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP.