Primeira Mão

 

Parabéns, Andav!

A Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav) completou em 18 de outubro 26 anos de vida. Na data também se comemora o Dia Nacional do Distribuidor de Insumos Agrícolas e Veterinários, instituído por meio da aprovação da Lei nº 12.500, de 4 de outubro de 2011 – uma das conquistas da Andav. “O objetivo da Andav é estar presente ainda mais nas discussões e tomadas de decisões junto ao Governo e aos órgãos públicos, apontando as necessidades e prioridades na visão de nosso associado, uma vez que ele está posicionado entre os fornecedores e o produtor rural. O canal de distribuição é um excelente fomentador da conscientização e educação do homem do campo, na busca por produzir com qualificação, tecnologia e orientação técnica”, destaca Henrique Mazotini (foto), presidente executivo da instituição. Entre as bandeiras da Andav está o combate junto ao Ministério da Agricultura contra os produtos ilegais.


5,5 bilhões...

...de reais. Esse é o montante movimentado todo o ano pela cadeia produtiva das hortaliças, cultivadas em 820 mil hectares. O segmento gera 20 milhões de toneladas de 18 diferentes hortaliças, sendo que metade é de tomate, cebola, melancia e alface. Desde 2010 o setor tem crescido 12% ao ano. O estado de São Paulo concentra um quinto de tudo o que se produz em hortaliças no País. Os números são da Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (Abcsem).


SINDAG RECONHECIDO PELA ONU

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroagrícolas (Sindag) foi incluído no cadastro do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). O Pacto Global abrange mais de 12 mil organizações em cerca de 100 países, comprometidas com dez princípios estabelecidos pelas ONU em direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. Segundo o presidente do Sindag, Júlio Augusto Kämpf, a deferência da ONU faz parte de ações da entidade para promover a qualificação do segmento, melhorar a eficiência e a segurança operacional e ambiental. “Apoiamos também o programa Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS), e temos ainda a parceria com a Embrapa, que está fechando três anos com a maior pesquisa até hoje feita no País sobre pulverização de defensivos”, ressaltou. O Brasil tem a segunda maior frota de aviões agrícolas.


CONSELHO EM DEFESA DO AGRO

Nasceu no mês passado o Conselho do Agro, mais precisamente o Conselho das Entidades do Setor Agropecuário, que reúne 12 entidades classistas de produtores e criadores. A proposta da entidade formada em Brasília, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), é defender os interesses da agropecuária e também do Brasil. “O Conselho do Agro será instrumento estratégico para o setor ter cada vez mais força e clareza de ideias nos debates sobre as mudanças na política econômica. A agropecuária é forte e lidera o crescimento, não podendo ser fraca em sua representação institucional”, argumentou Alysson Paolinelli, colunista da revista A Granja e também presidente-executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), uma das entidades que integra o conselho, assim como Aprosoja Brasil, OCB, Abrapa, SNA, SRB e outras.


JACTO reestrutura área de Marketing

A Jacto – Divisão Agrícola reestruturou sua área de Marketing. A nova composição originou a Diretoria de Marketing, que terá como executivo Wanderson Tosta (foto), que irá gerir as áreas de Planejamento de Produto, Treinamento e Documentação Técnica, Publicidade e Propaganda, Gestão e Estratégia de Marketing, Comunicação, Criação de Arte, Eventos e Negócio Otmis. Essa reestruturação, anuncia a empresa, “reflete o desejo em atender as constantes demandas do mercado e reforçar o posicionamento da empresa, objetivando um ambiente propício para um bom relacionamento”.


80 anos de Agronomia

Entre os mais de 10 mil engenheiros agrônomos formados pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) desde 1901, um ganhou destaque no mês passado, quando a universidade sediada em Piracicaba/SP promoveu a 59ª Semana Luiz de Queiroz, um diversificado evento cultural e científico em razão do Dia do Engenheiro Agrônomo, comemorado em 12 de outubro. Eu sempre digo que a Esalq é um templo no qual sempre voltamos para renovar conhecimentos, rever amigos e matar as saudades”, ressaltou o aluno da turma formada em 1936 Fernando Cardoso Penteado, 103 anos de vida, homenageado pelos 80 anos de formatura. Na foto, ele recebe um certificado de Antonio Roque Dechen (à esquerda), professor da universidade e presidente da Fundação Agrisus, fundada por Cardoso, e João Carlos Teixeira Mendes, engenheiro florestal da turma de 1995. Além de criar a Agrisus, Dr. Cardoso, como é conhecido, fundou a Adubos Manah.


Sacudido por bons ventos

O volume de exportações de celulose cresceu 13,6% de janeiro a agosto em comparação ao mesmo período do ano passado, para 8,4 milhões de toneladas. Já a venda externa de painéis de madeira teve expansão de 65%, para 644 mil metros cúbicos, e a de papel, 5%, para 1,4 milhão de toneladas. A China levou um terço da celulose, enquanto os americanos são os principais clientes dos painéis, e a América Latina destaca-se na compra de papéis. “Temos um parque industrial moderno, com a melhor engenharia genética e maior produtividade florestal por hectare. O setor entrega produtos sustentáveis de altíssima qualidade, fator determinante para a conquista do mercado externo”, valia Elizabeth de Carvalhaes, presidente-executiva da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).


Milho desejado lá fora

O milho em grãos foi um dos destaques das exportações de janeiro a setembro, com expansão de 42,3% ante o mesmo período de 2015, e ampliação da fatia de todas as exportações brasileiras de 1,51% para 2,25%. O agronegócio representou nos primeiros nove meses 40% de todas as exportações brasileiras – US$ 56,38 bilhões de um total de US$ 139,3 bilhões – que tem a liderança da soja, com 13% das exportações totais. A China leva um quinto de tudo o que o Brasil vende.


Safra rosa

O Outubro Rosa vai se estender em muito na vida da produtora Andressa Bordin, de São Martinho da Serra/RS. Em outubro, mês símbolo na campanha contra o câncer de mama, o trator que ela comprou, da marca LS Tractor, foi exclusivo: de cor rosa. “Desde os 11 anos que eu penso em como seria legal ter um trator onde eu fosse trabalhar e ele tivesse a cor que eu adoro, o rosa”, revelou a produtora, que cultiva com o marido 100 hectares de arroz e soja. Eles conheceram o trator em uma demonstração a campo, e ao realizar a compra, perguntou na concessionária Dosul se a máquina podia ser rosa. O gerente da empresa, Eduardo Olea, explica que a foi preciso “envelopar” o trator com um filme plástico, pois o original de fábrica não poderia ser diferente da tradicional cor azul.