Expointer

 

Sinais de RETOMADA

A tradicional Expointer, realizada em Esteio/RS entre 27 de agosto e 4 de setembro, registrou incremento no volume de negócios envolvendo máquinas agrícolas

Os resultados da 39ª Expointer, feira realizada em Esteio/RS entre os dias 27 de agosto e 4 de setembro, mostraram que os produtores estão dispostos a retomar os investimentos em tecnologia. Depois de uma forte queda nos negócios na exposição de 2015, este ano houve incremento de 12,5%, em um total de R$ 1,923 bilhão. O desempenho financeiro da feira foi considerado de superação econômica pelo governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori.

As vendas de animais recuaram 24,9%, mas a comercialização e as propostas envolvendo a aquisição de equipamentos agrícolas cresceram 12,9%, chegando a R$ 1,909 bilhão. O presidente do Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Bier, diz que o número superou a meta traçada pelos fabricantes. O resultado ajuda a trazer otimismo para o restante do ano para as montadoras gaúchas, que respondem por mais de 60% dos equipamentos agrícolas fabricados no País.

Durante os nove dias de programação no Parque de Exposições Assis Brasil os produtores puderam conferir de perto o que há de mais moderno em inovações voltadas à melhoria dos processos no campo. Os irmãos Matheus e Rafael Sartori aproveitaram a visita à Expointer para encaminhar o pedido de uma nova colheitadeira para o trabalho na propriedade da família em Nova Ramada, no Noroeste do Rio Grande do Sul. A decisão pela compra levou em conta a importância de qualificar a produção na lavoura de 300 hectares cultivada com soja e milho no verão, e trigo e aveia no inverno. “Nossa última colheitadeira foi adquirida há três anos. Entendemos que era importante modernizar a frota nesse momento”, justifica Matheus. Segundo o produtor, o equipamento negociado na feira, com preço em torno de R$ 450 mil, terá financiamento do banco de fábrica, com prazo de pagamento de dez anos.

Irmãos Matheus (à dir.) e Rafael Sartori: visita à Expointer resultou na aquisição de uma nova colheitadeira para qualificar a produção da família em Nova Ramada/RS

Diversidade de atrações — A chuva presente na maior parte do tempo foi uma das responsáveis pelo recuo do público nesta edição – de 545 mil pessoas em 2015, para 350 mil este ano. O menor número de visitantes no parque é apontado como uma das causas da redução de 8% nas vendas do Pavilhão da Agricultura Familiar, que somaram R$ 2,03 milhões. O local, que reúne produtores de 131 municípios, também recebeu 30 expositores a menos em comparação com o ano passado devido a limitações no espaço. Para 2017, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/ RS) espera a ampliação do setor com a construção de um segundo pavilhão.

A Expointer tem como marca registrada uma programação diversificada que inclui, além da exposição de animais e equipamentos, leilões, julgamentos, rodadas de negócios, debates sobre temas relevantes para o setor, palestras e atividades de conhecimento direcionadas a diferentes perfis de produtores.

Salão do Empreendedor Rural atraiu produtores com atividades relacionadas a gestão da propriedade, aumento de competividade e novas oportunidades no meio rural

Um dos espaços mais concorridos deste ano foi o Salão do Empreendedor Rural, iniciativa do programa Juntos para Competir, que envolve o Sebrae, a Farsul e o Senar. Na agenda de atrações do salão foram abordados temas relacionados a melhoria da gestão, aumento de competitividade e produtividade e novas oportunidades de negócios no meio rural. Outro sucesso de público foi a Vitrine da Carne Gaúcha. Foram 3.426 espectadores, com uma média de 107 pessoas por apresentação, que acompanharam a desossa de carcaças bovinas, ovinas e suínas.

Já os espaços do Senar espalhados pelo parque atraíram produtores interessados nas dinâmicas e oficinas voltadas a práticas do cotidiano do campo. Na Vitrine do Leite foram apresentados todos os passos da cadeia produtiva, desde a propriedade até a prateleira do supermercado. Este ano, o espaço contou com a peça de teatro infantil “Mimosa na Expointer”, que trabalhou de forma lúdica a valorização da cadeia leiteira.

Projeções para a safra — Durante a feira, a Emater/RS apresentou as estimativas iniciais para os principais grãos de verão (arroz, milho, soja e feijão) na safra 2016/2017. A produção gaúcha é estimada em 29,1 milhões de toneladas, volume 2,2% acima da colheita de 2015/ 2016. Os técnicos da Emater ressalvam que a confirmação ou não dos números da produção dependerá, principalmente, das condições meteorológicas e da tecnologia empregada durante o ciclo das culturas.

O destaque desta temporada fica por conta do milho. Com a valorização do cereal, a área plantada poderá crescer quase 9%. Para a soja, a tendência é de estabilidade depois de sucessivos aumentos expressivos no cultivo. Para esta safra, a projeção é de ampliação de 0,9% na área com a oleaginosa, que deverá ficar próxima dos 5,5 milhões de hectares.