Agricultura Familiar

 

IRRIGADOR SOLAR: tecnologia simples e econômica

Washington Luiz de Barros Melo, doutor em Física Aplicada e pesquisador da Embrapa Instrumentação

Você já pensou na água que corre por sua torneira ou no chuveiro de seu banheiro. Como chegou até você? Estamos tão acostumados a abrir uma torneira e ver descer a água para lavar o nosso rosto logo pela manhã que nem pensamos como ela chegou até aquele ponto. Pois ela passou por diversos lugares, viajou quilômetros e mais quilômetros, subindo, formando nuvens e descendo como chuva, correndo pelos rios, sendo represada, submetida a tratamento químico para separar os dejetos e tantas outras situações.

Já pensou na quantidade de vida que depende da água? Acha que é só peixe? Coisa nenhuma! Uma infinidade de seres nela nascem, reproduzem-se e morrem. E alimentam outras quantidades de seres de dentro e fora dela. Como é bom um peixinho frito e bem temperado! Pois é, até o tempero para o peixe precisou de água para se formar. Assim, a água é nossa vida e se não olharmos como tal, vamos também desaparecer.

Durante a formação da Terra, quantidade finita de água foi trazida do espaço por meio de corpos que se chocaram com o globo primitivo. Assim, a água que usamos para matar a nossa sede, irrigar as plantas, dar de beber aos animais e produzir bens industrializados é única e secular. Ela é finita assim como os outros materiais encontrados na Terra. Não que ela vá desaparecer, virar fumaça, como é o caso do petróleo, mas que a quantidade apropriada para os seres, especificamente humanos, está se tornando cada vez menor. Acredita- se que a água poderá ser futuramente um dos produtos mais caros. Caro em dois sentidos, por um lado, pela necessidade como um bem para a vida, por outro, quanto ao custo financeiro para tê-la nas nossas atividades cotidianas.

Como já foi dito, ela é finita e está se tornando cada vez mais difícil de ser encontrada em condição potável devido ao uso intensivo, tanto urbano como nas diversas atividades econômicas. Consequentemente, contabiliza-se o aumento de mananciais em condições impróprias por causa do descarte de materiais poluidores, seja de origem doméstica, industrial ou agropecuária. Isso acarreta um custo elevado do tratamento de água para o uso humano, como também tem aumentado a dificuldade para captar água já que as fontes estão ficando mais distantes dos centros consumidores.

O uso indiscriminado da água e a influência das mudanças climáticas no planeta são indicativos de que os mananciais de água potável ficarão deficientes cada vez mais. Isso requer da população mudanças de hábitos ou nova aprendizagem de como conviver com escassez. O costume de lançar água no jardim ou em uma horta usando mangueira a fluxo contínuo, por aspersores, deverá mudar no futuro próximo. Uma saída para tal comportamento é o uso da irrigação por gotejamento, apenas direto na planta e não na área além, onde ocorrerá evaporação e penetração no solo nu.

A irrigação por gotejamento é largamente usada nos países do Oriente Médio, sendo o maior exemplo o Estado de Israel. A reciclagem e a irrigação por gotejamento têm mantido aquele povo em intensa operação agrícola e tecnológica. Equipamentos para irrigação por gotejamento aplicados às grandes áreas plantadas requerem significativo custo com sistema de bombeamento e circulação de água. Para áreas menores, é viável o uso de adaptações de equipamentos e sistemas caseiros, como um painel de células solares e pequenas bombas impulsoras de água para enviá-la até a plantação.

Pesquisador Melo, explicando o funcionamento do irrigador solar: os interessados em mais informações sobre a montagem e os detalhes de funcionamento do equipamento devem entrar no site da Embrapa e "baixar" o manual de instruções

Pensando em todos os fatos acima, resolvemos idealizar um sistema de irrigação por gotejamento de baixíssimo custo, usando apenas materiais recicláveis como garrafas PET, entre outros. Pensamos em um irrigador que também usasse a luz do sol como fonte de energia para impulsionar o fluxo de água para irrigação. Leva-se em consideração a economia de água e a praticidade de um irrigador que funcionasse automaticamente logo que o sol nascesse. Isso evitaria investimento em motores e bombas, no custo da energia elétrica e, sobretudo, na economia de água. Assim, nasceu o “irrigador solar.”

O irrigador solar é composto por quatro recipientes, sendo o primeiro a garrafa pintada de preto com ar no interior; a segunda, uma garrafa de vidro parcialmente cheia com água, onde ocorre um pequeno vácuo para sugar a água que está contida em um terceiro recipiente, que pode ser um tonel, uma bombona, um tanque ou mesmo uma garrafa PET. Este retém toda a água usada para irrigação. Por último, mas não menos importante, o quarto, uma garrafa PET conectada adequadamente à garrafa preta, na qual fica a água inicial que será entregue para irrigação, após o aquecimento da garrafa preta pelo sol. Nela é ligada a mangueira de saída da água, na forma de um sifão.

O funcionamento do irrigador solar é baseado no processo de aquecimento do ar, dentro da garrafa preta, para impulsionar a água da quarta garrafa para o sifão, que fica escorvado (o tubo teve o ar interior substitído pela água) Nisso, surge o vácuo na segunda garrafa que suga água do terceiro recipiente que passa para a quarta garrafa e sai pela mangueira do sifão de saída. O irrigador solar é um sifão ativado pela luz solar. Quando a garrafa preta esfria, sua pressão interna diminui em relação à da atmosfera e o fluxo de água deve parar. Assim, faz-se o controle da quantidade de água. Durante a noite não há a necessidade de irrigar, então, o irrigador auto-abastece e fica pronto para quando amanhecer.

A luz solar incide sobre a garrafa preta e o processo recomeça. Os interessados em mais informações sobre a montagem e os detalhes de funcionamento devem entrar no site da Embrapa e acessar o Serviço de Atendimento ao Cidadão – SAC, solicitar ou baixar o manual de instruções do irrigador solar (www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/ publicacao/1035707/irrigador-solar). Esse documento disponibiliza orientações e sugestões para melhor construí-lo, conforme o tipo de aplicação, seja no jardim ou em uma horta, e assim por diante. Consideramos importante incentivar a montagem do irrigador solar na sua propriedade, buscando economia de água e melhor rendimento de sua plantação.