Simposio

 

IDEIAS para o agronegócio do futuro

One – 32º Simpósio de Ideias Alltech reuniu mais de 3 mil pessoas de 71 países em Lexington, estado do Kentucky, Estados Unidos

Denise Saueressig*
denise@agranja.com

Um evento tão diverso quanto interessante é realizado todos os anos na cidade sede da Alltech, empresa voltada a soluções de sanidade e nutrição para a produção animal e vegetal. Entre os dias 22 e 25 de maio, Lexington, no estado do Kentucky, nos Estados Unidos, recebeu 3.150 pessoas de 71 países para o One – 32º Simpósio de Ideias Alltech.

O fundador e presidente da empresa, Pearse Lyons, comandou as palestras que abordaram a inovação, o empreendedorismo e o futuro das cadeias do agronegócio diante do desafio de ampliar a produção de alimentos para uma população em crescimento. Quando se refere ao tema do evento deste ano - One -, Lyons ressalta que toda mudança inicia com uma pessoa, uma ideia, um pensamento. “Uma boa ideia pode mudar o mundo”, resume o bioquímico irlandês que fundou a Alltech em 1980 com um capital de US$ 10 mil. Hoje, a companhia tem vendas anuais de US$ 2,1 bilhões, presença em mais de 120 países e 4,7 mil funcionários.

Para falar sobre suas iniciativas e motivações, foram convidados para as plenárias principais do simpósio nomes como Steve Wozniak, que ao lado de Steve Jobs fundou a Apple, e Alan Mulally, presidente da Ford entre 2006 e 2014, quando ajudou a reverter a maior crise da história da indústria automobilística.

No painel que abordou o futuro da agricultura, pesquisadores e executivos de empresas falaram sobre a importância de trabalhar em temas como a sucessão familiar, alternativas para a conservação do solo nos sistemas de produção e o avanço do uso das ferramentas da tecnologia da informação no campo. “Precisamos incentivar os jovens com novas possibilidades e entendimentos sobre a cultura da diversidade e os processos globais. Para quem cresceu no campo, é preciso entender que o agronegócio não é mais a ‘fazenda do papai’. As coisas mudaram muito nos últimos anos, e a próxima geração do líder agrícola vai certamente incluir habilidades tecnológicas”, destaca o vice-presidente e chefe da área científica da Alltech, Karl Dawson.

Investimentos para crescer na agricultura — Presente no Brasil desde 1993, a Alltech tem unidades em São Pedro do Ivaí/PR e Indaiatuba/SP, e um centro administrativo e planta industrial em Araucária/PR. Os mais recentes investimentos no País incluem um aporte de R$ 3 milhões em uma nova fábrica em Uberlândia/MG para atender a divisão que trabalha com produtos biológicos de performance, nutrição e proteção de plantas. A expectativa é de que a unidade seja inaugurada no segundo semestre. “Nos últimos cinco anos, os negócios voltados à agricultura cresceram, em média, 40% ao ano no Brasil. Esse número supera nossas expectativas e revela a grande demanda que existe no mercado por produtos mais sustentáveis”, observa o diretor comercial da Alltech Crop Science no Brasil, Ney Ibrahim.

O executivo explica que os 23 produtos da linha envolvem processos naturais que utilizam substâncias e microrganismos que ajudam no equilíbrio do solo, favorecendo o ambiente para que a cultura expresse da melhor forma seu potencial produtivo. Um dos principais objetivos da empresa no País é ganhar mercado entre as grandes culturas, como soja, milho, trigo, algodão e feijão. “Trabalhamos com produtores que já enfrentam problemas como a resistência a defensivos químicos, mas também com aqueles que ainda precisam conhecer as ferramentas que existem de prevenção”, explica Ibrahim. Para continuar crescendo no Brasil, a Alltech mantém estratégias de aproximação com os produtores investindo em qualificação técnica de funcionários e na realização de eventos como palestras e dias de campo.

*A jornalista viajou aos Estados Unidos a convite da Alltech