Primeira Mão

 

A CASA OFICIAL DA AP

AsBraAP. Está criada a Associação Brasileira de Agricultura de Precisão, formada por entidades e empresas de agricultura de precisão no Brasil. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico, inovação e difusão do uso de práticas, técnicas e tecnologias de AP. A associação foi fundada na recente Agrishow, em Ribeirão Preto/SP, mas já estava encaminhada pela Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão, do Ministério da Agricultura. “A Agricultura de Precisão é entendida como o conjunto amplo de ferramentas e tecnologias aplicadas para permitir um sistema de gerenciamento agrícola baseado na variabilidade espacial e temporal das lavouras e visa ao aumento de retorno econômico e à redução do impacto ao ambiente”, destaca o professor José Paulo Molin (foto), presidente da Comissão e também primeiro presidente da AsBraAP.


Pode engolir!

Mais um estudo comprova: os alimentos transgênicos são seguros para a alimentação humana, à alimentação animal e ao meio ambiente. Agora, a conclusão é nada mais, nada menos do que da Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos. A instituição, formada por cientistas, atua desde 1863 como conselheira para as decisões do governo americano. O comitê de pesquisadores examinou mais de mil publicações acadêmicas sobre organismos geneticamente modificados e ouviu mais de 80 manifestações em audiências públicas e seminários.

Conclusão dos experts? Não foram encontradas diferenças para maior risco dos alimentos transgênicos quando comparados aos convencionais. O trabalho ainda esclarece não haver indícios de que os transgênicos provoquem obesidade, diabetes, doenças renais, alergias, autismo ou câncer. “Ao longo de 20 anos de adoção de transgênicos no mundo, período em que esses produtos foram rigorosamente testados, a biotecnologia agrícola trouxe benefícios agronômicos e demonstrou potencial para resultar em outros ganhos para a sociedade”, comentou, no Brasil, a Ph.D em Ciências Biológicas Adriana Brondani, diretora-executiva do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB).


Boas práticas da lavoura à mesa

Está no ar um portal com conteúdo sobre as boas práticas em alimentação que tem tudo a ver com quem produz esses alimentos. O Boas Práticas Agrícolas, Boa Comida vai levar informações sobre adequados procedimentos com alimentos desde o campo até a mesa, para que desperte o interesse de agricultores, nutricionistas, chefs de restaurantes, agentes do mercado de alimentos e público urbano em geral interessado em comida, para assim difundir as inovações científicas relacionada à produção sustentável. O projeto é coordenado pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) com o apoio de outras entidades do segmento agrícola. Quer conhecer melhor? Acesse boaspraticas.org e www.facebook.com/boaspraticasorg.


Soja do bem pra sempre

A Moratória da Soja, o acordo entre sociedade, indústria e Governo que garante o acesso ao mercado apenas para os grãos gerados sem desmatamento, trabalho escravo ou ameaças a terras indígenas, foi renovada por tempo indeterminado. No mês passado, o compromisso foi referendado entre a então ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e pelos coordenadores do Grupo de Trabalho da Soja (GTS) “até que não seja mais necessário”. Um estudo divulgado em 2015 na revista Science mostrou que a Moratória da Soja foi cinco vezes mais eficiente em reduzir o desmatamento que todas as leis florestais do Brasil. Desde a criação, em 2006, o desmatamento da Amazônia caiu 86% nos municípios em que a Moratória atua, enquanto a produção cresceu 200% nos mesmos ambientes.


Confiança no produtor brasileiro

Em passagem pelo Brasil no mês passado, quando visitou a Agrishow, o presidente mundial da Case IH, o austríaco Andreas Klauser, disse que tem bons motivos para confiar no produtor brasileiro e acreditar na recuperação por aqui do mercado de máquinas agrícolas. “O momento de turbulência política e econômica não alterou nossos planos de investimentos no País, que tem uma grande história e um futuro promissor”, destaca. “Nosso trabalho é oferecer eficiência e tecnologia para produtores profissionais de todos os tamanhos”.


A GRANJA conquista prêmio de jornalismo

A reportagem “Nutrição na dose certa”, publicada pela A Granja em julho de 2015 conquistou o Prêmio Alltech de Jornalismo 2016 na categoria Soluções para a Agricultura. O trabalho vencedor mostrou como um sistema de adubação equilibrado e racional favorece o bolso do produtor, a produtividade da lavoura e o meio ambiente. A repórter Denise Saueressig recebeu a premiação no mês passado, durante o ONE: Simpósio de Ideias Alltech, realizado em Lexington, Kentucky (EUA).


NOVO SÓCIO-EXECUTIVO SEEDCORP

A SeedCorp anuncia Daniel Glat como sócio-executivo da empresa, que assumirá também a liderança da recém- criada Diretoria de Operações. A empresa possui cinco unidades de beneficiamento de sementes (UBSs), em MG, GO, BA, TO. Engenheiro agrônomo e mestre em Genética e Tecnologia de Sementes pela Universidade do Arizona (EUA), com especialização em Marketing pelo Insead (França), Glat fez carreira na Pioneer Sementes, onde chegou a diretor internacional e à Presidência no Brasil. Também atuou como consultor para empresas de agronegócio e é integrante de conselhos de administração de empresas nacionais e internacionais. Criada em 2013, a SeedCorp é a união dos multiplicadores Sementes Produtiva e Sementes São Francisco, e de um grupo de cinco executivos do agro.


Show das cooperativas catarinenses

Em tempos de crise econômica, o cooperativismo catarinense (tanto rural como urbano) anunciou crescimento de 12,96% no ano passado, segundo a Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc). As 260 cooperativas catarinenses reúnem 1,908 milhão de famílias associadas, mantêm 56.311 empregos diretos, faturam mais de R$ 27 bilhões por ano e representam 11% do PIB catarinense. Foi o sétimo ano consecutivo de crescimento, após a crise financeira internacional de 2008 e 2009, e para este ano a previsão é de expansão de 6%. Apenas as 51 cooperativas agropecuárias representam 64% do movimento econômico, ou mais de R$ 17 bilhões, com quase 70 mil associados.


1,95 bilhão...

... de reais foi o movimento de negócios da 23ª edição da Agrishow, realizada recentemente em Ribeirão Preto/SP, R$ 50 milhões a mais que o evento anterior. O público foi de 152 mil pessoas, 8 mil a menos que um ano antes, porém, segundo as empresas expositoras – 800 marcas – os visitantes que estiveram nos estandes eram “compradores”, inclusive de outros países. A próxima edição da mega-feira será de 1o a 5 de maio de 2017.