Tecnoshow

 

MAIS vendas que o esperado

Edição da feira de Rio Verde/GO movimentou maior volume de negócios que a edição anterior

Afeira Tecnoshow Comigo, realizada no início de abril em Rio Verde/GO, movimentou R$ 1,3 bilhão em negócios, número é superior ao alcançado em 2015, com R$ 1,1 bilhão. O resultado reflete o atual cenário da agropecuária no Brasil, que mesmo enfrentando a instabilidade política é um dos poucos setores que registrou crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), com 1,8%, e possui o Índice de Confiança em 84,3%. A edição deste ano do evento promovido pela Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo) teve a presença de 540 empresas e instituições de diversos segmentos.

“A gente veio para a feira com a expectativa um pouco pessimista. O que nós vimos aqui foi que superou”, revelou Antonio Chavaglia, presidente da Comigo

“A gente veio para a feira com a expectativa um pouco pessimista. O que nós vimos aqui foi que superou. Tem empresa que vendeu menos, tem empresa que vendeu mais”, destacou o presidente da Comigo, Antonio Chavaglia, o volume de negócios surpreendeu, já que a estimativa da organização era pelo menos repetir o número do ano passado. Já o público foi de 98 mil visitantes, inferior à edição anterior, de 104 mil pessoas. “O público realmente diminuiu. Estamos com um clima adverso, muito calor, então muitas famílias deixaram de vir. Veio mesmo só a pessoa para fazer negócio. De 104 mil para 98 mil pessoas, em cinco dias de feira, significa dizer que foram cerca de mil pessoas a menos por dia. Isso não é representativo em um negócio desse tamanho”, destacou Chavaglia.

Segundo o dirigente, o produtor está fazendo negócios conscientes, buscando aquilo que realmente vai lhe dar mais solidez dentro da propriedade, com investimentos em máquinas e equipamentos mais modernos, mesmo no atual momento da economia. E o produtor está preocupado em encontrar produtividade. “Temos problemas? Lógico, temos inúmeros problemas. Uma hora é crise, outra hora é Governo, outra hora é política, mas o produtor não para. Ele tem de fazer duas safras no ano, tem de encontrar uma maneira de ter renda. E aqui, na feira, ele não encontra só a questão de máquinas e equipamentos, mas informação que recebe de técnicos, de fábricas, de pesquisadores que demonstram de tudo, nesses canteiros”, enfatizou. Para o presidente Chavaglia, toda essa oportunidade que o evento oferece, desde informação à difusão de tecnologias, faz com que o produtor compareça à Tecnoshow Comigo. “Ficamos gratificados de estar contribuindo para melhorar a eficiência da propriedade rural”.