Cartas, Fax e E-Mails

 

MILHO: BOAS EXPECTATIVAS

Sou agricultor desde criança e o milho sempre foi uma cultura meio estranha em relação ao mercado (Reportagem de Capa da edição de fevereiro). Tem alta nos preços, tem baixa, e às vezes sem nenhuma relação a algum fato marcante. O que eu já aprendi, mas muitos desconsideram, é que essa espécie é fundamental para a rotação de culturas, que faz o grande bem ao solo. Não podemos nós, os produtores, desconsiderar isso jamais. Soja atrás de soja é uma tragédia para o sistema produtivo.

Edgar Vicente Jr.
Jataí/GO

MILHO: BOAS EXPECTATIVAS II

Na reportagem sobre o milho achei muito verdadeiro o que disse o produtor Antonio Pedrini. "Em hipótese alguma o produtor deve abrir mão da tecnologia. O milho é uma cultura que exige investimento em tecnologia para dar resultado, mas o retorno é garantido". Isso, pra mim, é uma pequena aula de agronomia e empreendedorismo. A gente não pode de maneira nenhuma pegar leve quando o assunto é agricultura. Tem que entrar com o que tem de melhor para assim obter o que é possível de melhor.

Leandro Seixa
Delfinópolis/MG

IDEIAS PARA UM MILHO DOURADO

Muito interessantes as considerações do Sr. Alysson Paolinelli na revista de fevereiro (entrevistado em O Segredo de Quem Faz). Uma análise profunda e convincente sobre as potencialidades do milho que não são aproveitadas por este País, e que, assim, todos perdem, inclusive o Governo, mas, sobretudo, os produtores. Gostei muito da seguinte parte: "O que o Governo está perdendo é a grande chance estimular e tocar o Brasil pra frente. E ao invés de produzir 82 milhões, 85 milhões de toneladas, tínhamos que estar produzindo mais de 100 milhões de toneladas. Porque o mercado existe, está bom e vai continuar a existir." Falou e disse, Sr. Alysson.

Gervásio do Amaral
Acreúna/GO Divul