Cartas, Fax e E-Mails

 

GRÃOS EM SEGURANÇA APÓS A COLHEITA

Muito oportuna a abordagem sobre o déficit de armazenagem (reportagem de capa da edição de novembro). É curioso como em alguns aspectos a agricultura brasileira evoluiu a passos largos nos últimos anos e em noutros a coisa anda feito tartaruga. É o caso de tudo o que envolve infra-estrutura. Como é o caso da armazenagem. Não era ara termos silos em todas as propriedades? Não era para todo produtor ter condições de guardar toda a sua colheita? Não, ao invés disso, o que a gente mais vê é colheitadeira colhendo e despejando os grãos num caminhão, que por vezes precisa percorrer quilômetros, justamente numa época do ano em que o frete é o mais caro do ano. Não dá para entender.

Walter da Cruz Jr. Concórdia/SC

GRÃOS EM SEGURANÇA APÓS A COLHEITA

Eu ainda teimo em acreditar que alguém ainda perca um grama sequer de grão depois que ele está no silo. Quem está no campo sabe quanto se trabalha até a colheita e, então, depois perder o lucro para carunchos ou fungos... Mas o que é isso? Muito boa a abordagem da revista sobre a importância de se cuidar com esmero a produção suada obtida lá no campo a céu aberto.

Marília Vicente Jataí/GO


ILP: MUITO FUTURO NO BRASIL

Muito boa a história do senhor Antonio José Gazarini (na foto, em O Segredo de Quem Faz, edição de novembro). A integração lavoura-pecuária é o futuro da agropecuária brasileira. Temos todos que pensar sempre em potencializar o uso de recursos, sobretudo, no caso de terras. Todos sabem que o preço do hectare está proibitivo, independente da região. Então, para dar um salto na rentabilidade no negócio, nada melhor do que investir num novo negócio, ou seja, gado em meio às plantações. Muito bom o testemunhal do senhor Gazarini.

Pedro de Martini Sidrolândia/MS