Cooxupé

  

COOXUPÉ é a rainha na exportação de café

A Cooxupé, de Guaxupé/MG, tem mais de 80 anos de história e exportou 3,6 milhões de sacas do grão no ano passado

Cooxupé
Sede: Guaxupé/MG
Principais produtos: café
Faturamento: R$ 2,9 bilhões em 2015 (previsão)
Mercados:: exportação para 40 países
Associados: 11 mil

Reconhecida mundialmente como a maior cooperativa de produtores de café, a Cooxupé faz parte da história da cafeicultura nacional e leva seu café verde para muito além da fronteira brasileira. Só em 2014, a cooperativa exportou 3,2 milhões de sacas de café arábica, crescimento de 19% ante 2013, para mais de 40 países como Alemanha, França, Bélgica, Canadá, Espanha, Estados Unidos, entre outros. O número manteve a Cooxupé como líder na exportação do grão produzido no Brasil.

O presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa, atribui ao bom resultado aos investimentos permanentes que a cooperativa realiza, em busca da excelência do seu produto. “Garantimos padrões variados de cafés às diferentes necessidades de cada mercado. Ainda oferecemos às comunidades nacional e internacional total segurança no recebimento dos lotes comercializados, isso porque a cooperativa registra elevado volume de recebimento do grão”, explica Paulino. Em 2014, a Cooxupé recebeu mais de 5 milhões de sacas de cafés de cooperados e de terceiros, abastecendo os mercados interno e externo.

“Nossos cafés têm garantia de rastreabilidade, conferindo sua origem e até mesmo os insumos utilizados nas lavouras”, lembra o presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa

Produzidos pelos mais de 11 mil cooperados, os cafés da Cooxupé – natural e cereja descascado – vêm do Sul de Minas Gerais, do Cerrado mineiro e do Vale do Rio Pardo (ou a Média Mogiana paulista), sendo áreas do Brasil reconhecidas pela produção de cafés mais finos e que já se destacam na preferência do mercado internacional. “Nossos cafés têm garantia de rastreabilidade, conferindo sua origem e até mesmo os insumos utilizados nas lavouras. Para isso, os processos de tecnologia da informação da cooperativa recebem investimentos permanentemente. Além disso, os grãos vêm com valor agregado por integrar programas de sustentabilidade e de certificações”, destaca Paulino. “Ainda mantemos um departamento de assistência técnica, com mais de 80 profissionais, que auxiliam os cooperados com informações e conhecimentos sobre boas práticas agrícolas e como garantir maior qualidade na produção”, acrescenta.

Além de se destacar no ranking de exportação, os números da Cooxupé também foram positivos em outras áreas. Em 2014, o faturamento da cooperativa foi de R$ 2,5 bilhões, praticamente 30% superior ao de 2013. “A valorização dos preços do café, o grande volume de sacas recebido e o recorde em exportação contribuíram de forma direta para o excepcional resultado que conquistamos”, justifica Paulino. A meta para 2015 é faturar R$ 2,9 bi e elevar as exportações para 3,6 milhões de sacas.