Ocepar

 

Sistema SUPERLATIVO em pessoas e conquistas

Cooperativas do Paraná querem atingir R$ 100 bilhões em faturamento no início da próxima década

João Paulo Koslovski, presidente do Sistema Ocepar, Organização das Cooperativas do Estado do Paraná

As cooperativas paranaenses, apesar de o momento nacional não ser nada favorável devido à instabilidade política e econômica, têm dado mostras de sua eficiência. Aliás, a crise, não importa a natureza, tem sido enfrentada com persistência, lastreada nos fundamentos da criatividade e da inovação dos nossos cooperados, gestores e colaboradores, que geram resultados positivos e descortinam horizontes ambiciosos e possíveis para superarmos os R$ 100 bilhões de faturamento no início da próxima década, desafio do setor dentro do Programa Paraná Cooperativo 100 (PRC 100).

Ao fechar 2015, ostentamos crescimentos expressivos, que vêm se repetindo ano após ano. E, atualmente, quando se projeta a queda da economia brasileira para o período, o setor cooperativo paranaense comprova evolução superior a 13% em relação ao ano anterior, com faturamento bruto de R$ 56,50 bilhões.

São números que expressam a crescente eficiência do setor em transformar o resultado do trabalho do nosso cooperado, altamente qualificado e tecnificado, aliado à competência de um corpo diretivo e funcional, em produtos e serviços para atender a demanda da sociedade, tanto em quantidade como em qualidade. O resultado final disso é o estímulo que retorna aos cooperados e seus familiares, com o aumento da renda e de seu bem-estar. E isso não fica restrito ao público que compõe o cooperativismo, mas se estende à comunidade em geral. Afinal, atualmente o sistema tem 1,3 milhão de cooperados congregados em 220 cooperativas dos mais diversos ramos, como agropecuário, saúde, crédito, infraestrutura, transporte, turismo, educacional, habitacional.

Enquanto se fala em redução dos postos de trabalho no País, como resultado da crise, as cooperativas, na contramão do momento, contrataram mais 2.759 empregados neste ano, fechando o período com 82 mil colaboradores, ou seja, um acréscimo de 3,48% na comparação com os 79.241 postos de trabalhos ocupados com o que o setor encerrou 2014. Além disso, os postos de trabalhos gerados pelas cooperativas subiram de 2,2 mil para 2,6 mil, de um ano para o outro. São mais de 3 milhões de pessoas, ou seja, 30% da população paranaense, que dependem das ações do cooperativismo. E, em mais de 100 municípios, as cooperativas são as maiores e mais importantes empresas.

João Paulo Koslovski: Mais de 3 milhões de pessoas, ou seja, 30% da população paranaense, dependem das ações do cooperativismo

Neste ano, as cooperativas investiram R$ 2,35 bilhões, recolheram R$ 1,5 bilhão em impostos, exportaram US$ 2,5 bilhões para mais de 100 países. As do ramo agropecuário responderam por 56% do PIB desse segmento no estado. São, portanto, resultados que espelham a importância do sistema como instrumento de defesa econômica e social de milhares de pessoas e para o desenvolvimento socioeconômico do Paraná e, em consequência, do Brasil.