Ocergs

 

O cooperativismo e o AGRONEGÓCIO gaúcho

As 138 cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul congregam cerca de 293 mil associados

Vergilio Perius, presidente da Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul (Ocergs)

As sociedades cooperativas estão inseridas e interagem em um ambiente altamente competitivo em vários segmentos da economia. Segundo o World Co-operative Monitor – Report 2014, estudo que congrega as informações socioeconômicas de cooperativas que movimentaram mais de US$ 100 milhões em 2012, indicou a existência de 1.313 cooperativas atuando em 50 países, com volume de negócio de cerca de US$ 2,3 trilhões. Dessas, 25% são cooperativas que operam no agronegócio, sendo que juntas movimentaram mais de US$ 590 bilhões naquele ano. Já o periódico A Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2014 aponta a existência de 440 cooperativas operando no estado, das quais 138 são agropecuárias e congregam 293 mil associados, com movimentação de cerca de R$ 20 bilhões naquele ano.

De tal forma, deve haver alguma razão econômica que justifique a existência e a expansão desse tipo de forma organizacional. A razão de ser do cooperativismo agropecuário é prover seus membros de meios com os quais possam obter maior renda através de sua atividade como agricultor. A cooperativa é o mecanismo institucional por meio do qual os agricultores podem trazer sob seu controle o equilíbrio econômico quando confrontados com estruturas de mercados monopolistas. Ela ameniza as consequências do poder de mercado exercido sobre os agricultores; proporciona ganhos de escala através da operação coletiva de seus associados; reduz o risco da atividade ao diluí-la entre vários participantes; permite maiores margens ao processar a produção de seus membros; provê bens e serviços aos cooperados, tais como assistência técnica, que de outra forma não teriam acesso. Enfim, a cooperativa agropecuária é a resposta organizacional que agricultores optam para fazer frente às dificuldades do setor.

O Sistema Ocergs- Sescoop/RS – Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul/ Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) – atua como órgão de representação institucional e sindical das cooperativas, capacitação, monitoramento e ensino do cooperativismo no estado. Sendo assim, atua junto às cooperativas, aos cooperados, aos empregados das cooperativas e naquelas comunidades nas quais atuam, sempre com o intuito de promover o desenvolvimento daquelas organizações, bem como a cultura do cooperativismo na sociedade.

Devido à crise do País, o Sistema Ocergs-Sescoop/RS tem dado foco à implantação do Programa de Autogestão nas cooperativas agropecuárias, revela Vergilio Perius

Devido à crise econômica que assola o País, e preocupado com a saúde econômico-financeira das cooperativas, o Sistema tem dado foco à implantação do Programa de Autogestão nas cooperativas agropecuárias. Trata-se de uma ferramenta capaz de compilar informações financeiras, econômicas e sociais das cooperativas de forma mais confiável e padronizada. Assim o Sistema Cooperativista se torna cada vez mais transparente, tanto para aqueles que o compõem – cooperativas e seus associados – como aos agentes econômicos que interagem com as cooperativas – financeiro, setor público, fornecedores, clientes, sociedade como um todo. Acreditamos que dessa forma o cooperativismo gaúcho vai sair desse momento de crise revigorado e mais estruturado para continuar apresentando à sociedade brasileira e gaúcha suas qualidades.