Notícias da Argentina

AVANÇOS NA BIOTECNOLOGIA

Foi anunciada a aprovação final do Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) de dois eventos biotecnológicos desenvolvidos por pesquisadores do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (Conicet). Um dos eventos é uma soja resistente à seca. O outro é uma batata resistente a um vírus. As duas tecnologias foram aprovadas em abril pela Comissão Nacional de Biotecnologia Agropecuária (Conabia).

O trabalho de base foi levado a cabo por um grupo de pesquisadores liderado pela doutora Raquel Chan, do Instituto de Agrobiotecnologia do Litoral, ligado ao Conicet, e da Universidade Nacional do Litoral (UNL), da província de Santa Fé. A equipe trabalhou a partir do isolamento e da caracterização de um gene de girassol relacionado com a resposta natural da planta diante de fatores climáticos e de condições de solo. Através da inserção desse gene na soja, foi possível aumentar a capacidade da planta para tolerar condições de estresse como a seca e a salinidade dos solos.

Cabe destacar que a raiz dessa modificação poderá oferecer um aumento dos rendimentos entre 10% e 100%, dependendo do tipo de cultivo e do local de produção. A patente da tecnologia é propriedade conjunta do Estado, através do Conicet e da UNL. A licença de uso e exploração foi outorgada por 20 anos à empresa Indear, nascida da aliança do Conicet com a Bioceres.

TRIGO

A projeção é de que a colheita do cereal tenha atingido 14% da área até a segunda quinzena de novembro. A produção é estimada em 9,5 milhões de toneladas, uma das mais baixas já registradas. Há muita expectativa de que o novo governo melhore a equação para a cultura.

SOJA

Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, até o final de novembro o plantio chegava a 30% da intenção, que é de 19,8 milhões de hectares. As chuvas registradas devem fazer com que o cultivo avance mais lentamente.

LEITE

O panorama da produção de leite segue péssimo para o produtor argentino, com preços abaixo dos custos. O valor pago pelo litro está em US$ 0,25 (dólar oficial) e em US$ 0,16 (dólar paralelo).

CARNE

Em comparação com os preços de 30, 60 e 90 dias atrás, o panorama da pecuária mostra-se favorável, com aumento de 3% e 8% para os primeiros períodos e de dois dígitos para os últimos três meses. O quilo do novilho jovem tem preços de US$ 2,1 (dólar oficial) e de US$ 1,35 (dólar paralelo).


EXPECTATIVA DE MUDANÇAS

A possibilidade de que o final do governo de Cristina Kirchner represente o término das políticas que tanto castigaram o agronegócio nos últimos anos está gerando grandes expectativas entre o setor, desde a pecuária até o cultivo comercial de cereais e oleaginosas. No último caso, o mais esperado é a eliminação das retenções à exportação de trigo e milho. A medida poderia resgatar os dois cultivos da crítica situação em que estão e recolocaria a Argentina como um dos líderes no comércio desses grãos.


BATATA RESISTENTE A VÍRUS

Pesquisa teve como objetivo combater o vírus Y (PVY na sigla em inglês) da batata, e foi encabeçada pelo pesquisador do Conicet doutor Fernando Bravo Almonacid e seu grupo do Instituto de Investigações em Engenharia Genética e Biologia Molecular (Ingebi). Os pesquisadores trabalharam durante seis anos em ensaios sobre duas mil plantas de duas linhas diferentes em campos das províncias de Buenos Aires, Córdoba e Mendoza, levando em conta os tipos climáticos e de solos de cada lugar. Como resultado, as plantas geneticamente modificadas não mostraram sinais de problemas, enquanto que as plantas convencionais apresentaram taxa de infecção entre 60% e 80%.