IATF: já tem pecuarista superando os 80% de prenhez na estação de monta

O mercado de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) já apresenta alguns indícios interessantes na pecuária brasileira, o que leva a crer que a técnica ainda evoluirá muito nos próximos anos. Um bom exemplo é que há pecuarista superando a casa dos 70% de prenhez na estação de monta.
“No primeiro ano de análise de dados do Gerar (Grupo Especializado em Reprodução Aplica ao Rebanho), em 2007, a fertilidade média à primeira IATF era de 49%. Hoje, evoluiu para 53%, mesmo tendo aumentado consideravelmente o número de vacas inseminadas – de 67 mil sincronizações, em 2007, para mais de 2,3 milhões em 2017”, compara o coordenador do Gerar, José Luiz Moraes Vasconcelos, conhecido como Professor Zequinha, lembrando que existem propriedades que já superam índices médios de fertilidade de 70% com uma única inseminação.
É o caso da Fazenda Barrocão, do pecuarista Jorge Alberto Vidor, localizada em São Francisco de Paula/RS, que, em vacas multíparas, registrou taxa de prenhez de 84,9% nas vacas cruza Angus. A propriedade participou do monitoramento de 1.362.108 inseminações em tempo fixo promovidas em 1.868 fazendas de todas as regiões do Brasil, além de Paraguai, Bolívia e Uruguai. Dessa base de dados, foram selecionadas 984 fazendas que apresentam mais de 200 IATFs em vacas multíparas, totalizando 339.282 animais. Leia a íntegra dessa reportagem na edição de setembro da AG.

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 14/09/2018
Fonte: Revista AG

Últimas notícias