Terceira edição do Top 100 - Zebuínos está repleta de surpresas

As duas últimas edições do Top 100 – Zebuínos, um projeto sem igual no País, uma parceria da Revista AG, portal Beef Point e Brasil com Z, revelaram que a maioria dos vendedores de reprodutores zebuínos trabalham com programas de melhoramento genético. Logo, no ranking deste ano, a situação não foi diferente, contudo só esse aspecto não basta para os criatórios seguirem firme com suas ofertas de animais melhoradores.
“É fato que 89% dos participantes fazem parte de pelo menos um programa de melhoramento genético, resultando no crescimento de grandes projetos de seleção e comercialização de reprodutores. Nos dias de hoje, participar de um programa de melhoramento genético é essencial para se agregar valor ao produto, mas só isso não garante resultados, pois boa nutrição - apresentação - e criar um relacionamento com cliente são fundamentais para fidelização”, avalia o zootecnista William Koury Filho, um dos organizadores do Top 100.
Outro detalhe apontado pelo zootecnista é sobre o estado de São Paulo, que participou com maior número de rebanhos no Top 100, com 14 fazendas e 4.638 touros. Embora o estado com maior número de animais seja Mato Grosso, com 5.720 reprodutores pertencentes a 12 rebanhos. “A cada ano temos acompanhado a evolução do zebu brasileiro, gado que possui muita variabilidade e permite seleção para cumprir objetivos específicos nos diferentes ambientes tropicais e subtropicais do planeta”. Leia a íntegra na edição de julho da AG

Data: 07/07/2018
Fonte: Revista AG

Últimas notícias