Especialista mostra como e por que manter a tecnologia na rédea

Conhecer detalhes do processo produtivo e do funcionamento do maquinário, bem como seus implementos, é imperativo na obtenção de melhores resultados não só na atividade pecuária. Para dar algumas boas dicas aos leitores, a equipe da Revista AG entrevistou Paulo Ferraz Netto, consultor na empresa Ajuste Pecuário e especialista no assunto. Se o nome soa familiar, é pelo fato dele ter assinado o “Especial Mecanização” nos últimos dois anos, material que vale a releitura. Segundo o consultor, tanto o agricultor quanto o pecuarista estão procurando informação sobre o sistema de integração lavoura-pecuária. É claro que a diferença do grau de intensificação vai depender do perfil de cada um.
“A impressão inicial era de que os agricultores tivessem mais facilidade para fazer pecuária na entressafra das culturas, mas o que estamos percebendo é que existem pecuaristas fazendo o dever de casa e saindo-se muito bem na agricultura”, avalia. Para o lavourista, o ciclo de cria é mais complexo porque envolve formação de plantel e investimento em tecnologia como currais e bretes para fazer IATF. Por outro lado, a lavoura de grãos para uso na alimentação animal mostra-se mais viável para os pecuaristas. Soja e algodão, por exemplo, requerem muita tecnificação e informação técnica, o que pode complicar um pouco as coisas no curto prazo. Nessa entrevista, ela fornece dicas preciosas dos equipamentos que não podem faltar, bem como a tecnologia ideal para cada porte ou sistema produtivo das fazendas.

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 13/04/2018
Fonte: Revista AG

Últimas notícias