Métricas são o mapa da mina e revelam o desempenho da fazenda

Medir, medir, medir. Essa é a única receita para que se tenha sucesso em qualquer negócio. Porém, é preciso medir os itens corretos; transformá-los em dados, analisá-los e compará-los. É nessa hora que entra a métrica. Ela é importante, pois parametriza as informações. Simplificadamente, ela constrói o “mapa da mina”. A partir de um objetivo definido, a métrica dá as referências para se chegar ao tesouro, ou seja, o faturamento esperado. Como um mapa, ela indica se o caminho está sendo seguido corretamente, não deixando a fazenda sair da linha. Além de ser o guia, o número traz justiça e permite que o produtor foque na atividade, grupo de pessoas, retiro ou manejo que realmente lhe deem resultado.
Porém, o que medir? O sistema deve ser simples e levar em consideração aquilo que efetivamente importa. Em outras palavras, seria controlar o movimento do rebanho e do dinheiro. Às vezes, o método aplicado tem um alto nível de detalhamento e o produtor conhece determinada vaca de produção, só que desconhece o quanto ela trouxe de lucro ou gerou de despesa. Esse não é o caminho! Uma dica de ouro para começar as métricas pecuárias é partir do maior para o menor, ou seja, fazer os grandes controles e aos poucos ir afinando o processo de acordo com a complexidade do projeto. De que adianta colocar brinco em todos os animais, se não é feito um romaneio correto de embarque com a posterior baixa no estoque da fazenda? Primeiro deve-se definir os grandes controles da fazenda para, em seguida, caminhar para o controle individual, fruto do refinamento da métrica.
Questiono também muitas medidas complexas que, às vezes, implicam em mudanças de manejo e até em traumas aos animais. São práticas pré-estabelecidas que não contribuem para a decisão, e sim para formar séries históricas! É preciso desapegar. Sugiro um teste rápido para avaliar quais índices deverão ser acompanhados. A pergunta é simples: Qual decisão tomo com esta informação? Gaguejou para responder, não precisa! Com os atuais sistemas de informática aliados ao conhecimento zootécnico adquirido, vive-se uma nova fase, que simplificou a forma de controlar.
Para começar, dividido as métricas pecuárias em quatro grandes lentes que permitem olhar para diferentes áreas da propriedade. São elas: financeira, técnica, operacional e equipe. Como o objetivo do negócio é dinheiro no bolso, em grau de importância, a financeira parece estar um passo a frente, no entanto, ela é fruto das demais. Todas são interdependentes e se relacionam. Mais detalhes sobre o artigo escrito pelo especialista Antônio Chaker Neto, você encontra na seção "Gestão".

Data: 08/02/2018
Fonte: Revista AG

Últimas notícias