Santo Capim

PLANTAS INVASORAS DA PASTAGEM (Parte 1)

Santo

Adilson de Paula Almeida Aguiar é zootecnista, investidor nas atividades de pecuária de corte e leite, professor de Forragicultura e Nutrição Animal e Consultor Associado da Consupec - Consultoria e Planejamento Pecuário Ltda.

Plantas invasoras ou infestantes são plantas indesejáveis em uma cultura específica. A definição é, até certo ponto, complexa por causa da dinâmica dos sistemas agropastoris. Por exemplo, as plantas forrageiras são desejáveis no cultivo de pastagens, mas, em cultivos de grãos, canaviais, seringais e reflorestamentos, são plantas indesejáveis e, portanto, classificadas como invasoras. Entretanto, mesmo em explorações pecuárias, uma planta forrageira pode ser classificada como invasora quando da presença de capins do gênero Brachiaria sp em piquetes de gramas do gênero Cynodon sp (grama estrela, coastcross e tiftons) para equinos ou em campos de produção de feno.

São sinônimos de “planta invasora” ou “infestante” os termos ervas daninhas, plantas daninhas (ambos termos técnicos), inços (na Região Sul), juquira (na Região Norte), capoeira (nas regiões Sudeste e Nordeste), “pragas” (termo incorreto, porque pragas são insetos, tais como cigarrinhas, percevejos, gafanhotos, lagartas e formigas).

Existe uma relação entre a presença de plantas invasoras na pastagem e o processo de sua degradação. O papel das plantas invasoras como “indicadoras” da degradação de pastagens no trópico úmido amazônico é tão evidente que alguns estudos têm tentado caracterizar os vários estádios de produtividade das pastagens nessa região com o percentual relativo da biomassa dessas plantas presentes na pastagem.

Por meio da metodologia quantitativa, quantifica-se o percentual relativo de bi...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!