Sala de Ordenha

Alta de preços no Brasil Central e no Sudeste. No Sul, produção aumentando deve tirar sustentação dos preços

Segundo levantamento da Scot Consultoria, no pagamento de julho, referente ao leite entregue em junho, a média nacional ficou em R$ 1,230 por litro, sem o frete.

Foi o sexto mês consecutivo de alta para o produtor. O aumento foi de 5,6%, frente ao pagamento anterior, e de 19,7% desde o começo do ano.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o produtor recebeu 6,5% a mais nesse último pagamento (Figura 1).

Figura 1 – Cotação média nacional ponderada do leite ao produtor – em R$/litro, valores nominais

Sala

A entressafra no Brasil Central e na região Sudeste foi agravada pela falta de chuvas, que já ultrapassa 100 dias em muitos estados, e o aumento do custo da alimentação concentrada em 2018.

No mais, o mercado ainda sente os efeitos da greve dos caminhoneiros no final de maio e começo de junho, que afetou, de alguma maneira, a curva de lactação dos animais.

Segundo o Índice Scot Consultoria de Captação de Leite, em junho, o volume captado de leite diminuiu 1,1% em relação a maio deste ano. Em julho, a queda foi de 1,3% na captação (média nacional).

Aqui, vale destacar que houve quedas nas produções em São Paulo, Minas Gerais e Goiás, mas, nos estados do Sul do País, a produção aumentou, ainda que em um ritmo menor do que no mesmo período do ano passado.

Desde o pico de produção, em dezembro de 2017, o volume captado recuou 18,3%, segundo o indicador (média nacional).

Comparando o volume captado em julho deste ano, frente a julho de 2017, a produção nacional diminuiu 14,3%. Desde maio, os volumes mensais estão menores que no mesmo período do ano passado, situação diferente da observada nos meses...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!