Sala de Ordenha

Entressafra e greve dos caminhoneiros sustentam mercado

Q uarto mês de alta para o produtor de leite. No pagamento de maio, referente ao leite entregue em abril, os reajustes variaram de 1% até 6%, frente ao pagamento anterior.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, a média nacional ponderada dos dezoito estados pesquisados ficou em R$ 1,116 por litro, sem o frete.

Além da queda na captação em função da entressafra no Brasil Central e Região Sudeste, a greve dos caminhoneiros, no final de maio, e a dificuldade de coleta do leite nas fazendas e o escoamento dos lácteos até o consumidor final trouxeram incertezas e especulações ao mercado interno de forma geral.

Figura 1 - Cotação média nacional ponderada do leite ao produtor - em R$/litro, valores nominais

Sala

Muitos laticínios interromperam a captação ou reduziram o volume de leite coletado nas duas últimas semanas daquele mês, o que deu sustentação, por exemplo, aos preços no mercado spot e produtos lácteos no atacado e varejo.

Segundo o índice Scot Consultoria de Captação de Leite, em abril, considerando a média nacional, houve queda de 2,8% no volume de leite coletado e, em maio, de acordo com dados parciais, sem considerar os efeitos totais da greve, caiu 2,2%. Essa queda ficou em 8,9% na consolidação dos dados em junho.

Além da greve, as questões climáticas adversas (falta de chuvas) e o aumento dos custos de produção tem interferido na produção de leite no País.

Para o pagamento a ser realizado em junho, referente à produção de maio, 88% dos laticínios pesquisados pela Scot Consultoria acreditam em alta do preço do leite ao produtor, 11% falam em manutenção e 1% estima queda no preço do leite para o produtor, frente ao pagamento anterior.

Um ponto important...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!