Do Pasto ao Prato

DIÁRIO DO VIAJERO: PECUÁRIA INTENSIVA DE ÁGUA BOA A ÁGUA DOCE

Fernando Velloso é médico-veterinário e sócio-proprietário da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha – www.assessoriaagropecuaria.com.br –

Saudações! A minha profissão tem me propiciado viajar muito, ver muito e aprender um pouco. Aprecio a vida de viajero, apesar dos dias fora de casa e dos trancos da estrada. Recentemente, no mês de junho, a Associação Brasileira de Angus propiciou a todos os seus inspetores técnicos uma reunião anual e visita no MT para que o cruzamento com Angus fosse visto e discutido com profundidade. A boa escolha do destino nos levou até Água Boa e Barra do Garças, no Vale do Araguaia.

Do

Fêmeas F1 Angus x Nelore no Grupo Leopoldino, em Água Boa - GPC

Em Água Boa, na Fazenda Califórnia (Grupo Leopoldino), participamos do Dia de Campo Mega Cruza e pudemos revisar vários lotes de animais F1 (Angus x Nelore), F2 de vários cruzamentos (F1 x Brangus, F1 x Bonsmara e F1 x Simental preto). A velha pergunta e ainda tema de discussão segue na boca dos pecuaristas que fazem cruzamento: que raça usar no F1 Angus?

As opções são variadas e devem levar em conta a heterose possível e o enquadramento ou não dos produtos no Programa Carne Angus. Para tornar a resposta mais complexa, o frigorífico JBS divulgou, em palestra de Fábio Dias, o Protocolo Multirraças 1953 (em alusão ao ano de fundação da empresa).

Nesse novo programa da indústria, novilhos cruza com europeus jovens, castrados e bem terminados podem alcançar premiações similares à Carne Angus. Vida nova para as raças continentais (especialmente o Charolês) como opção para cruzamento terminal e produção de F2 pesada e de alta heterose para esse programa.

Será q...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!