Leite

À sombra se produz mais

Leite

Sistemas de produção de leite em integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) no Cerrado

Isabel Cristina Ferreira*

A cadeia de produção de leite abrange todas as regiões do País. A busca pela sustentabilidade, qualidade e rentabilidade da atividade é fundamental para a sobrevivência dos atores da cadeia.

Uma das formas de obter esse tripé é a produção a pasto, que possibilita boas rentabilidades do sistema de produção. Isso pode ser obtido por meio da redução do uso dos insumos que mais oneram o custo de produção, como o excesso de concentrado à base de grãos.

Dessa forma, é possível buscar o equilíbrio do sistema de produção sem diminuir a produtividade e a lucratividade no longo prazo. Se o pecuarista atingir esse ponto ideal, estará trabalhando com sustentabilidade da atividade e do sistema de produção.

Nesse sentido, o uso do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é uma forma de produzir com sustentabilidade.

No Bioma Cerrado, a produção de leite a pasto convive com uma característica marcante, que é a estacionalidade de produção de forragem.

Na estação chuvosa, tem-se alta disponibilidade de forragem, que pode sobrar do consumo dos animais da propriedade; já na estação seca, falta alimento em qualidade e quantidade, devendo assim ocorrer a suplementação de volumoso para manter a produção leiteira.

Em busca dos menores custos de produção, deve-se direcionar para o uso da pastagem no período de disponibilidade de forragem e realizar a conservação de volumoso (milho, sorgo, milheto), geralmente, por meio da ensilagem, para utilização no período seco.

O uso da ILPF possibilita conservar alimentos para a seca, produzir grãos a um menor custo e forrage...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!