Leite

ILPF

Leite

Estratégia para produção de leite no bioma amazônico

Miqueias Michetti* e Luciano Bastos**

Integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) tem sido proposta como um modelo sustentável de produção, com uma série de benefícios ambientais, sociais e econômicos. Entre eles, destacam-se o potencial de mitigação de gases de efeito estufa, a melhoria da qualidade e conservação das características produtivas do solo e a maior eficiência na utilização dos recursos produtivos. Além dessas vantagens, os sistemas integrados se mostram ainda como um modelo bastante aberto a tecnologias aderentes e aplicáveis, independentemente do perfil, do tamanho e da localização das propriedades.

Apesar de não se tratar de um sistema produtivo novo, o papel que a agricultura assumiu nos últimos tempos, com base nas exigências dos consumidores quanto a modelos de produção mais sustentáveis e relacionados ao bem-estar animal, têm potencializado sua adesão. Uma das razões para a adoção se encontra justamente no conforto térmico para os animais, quando, na configuração, se estabelece o plantio de árvores ou ainda provendo uma melhor oferta e distribuição de forragem.

Assim sendo, o sistema de integração lavoura e pecuária com o componente florestal, seja no modelo silvipastoril, ou mesmo agrossilvipastoril, pode ser uma excelente estratégia para a produção de leite em propriedades inseridas no bioma amazônico.

Nesse sentido, a Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, localizada na Região Médio Norte do estado de Mato Grosso, deu início em 2010 ao desenvolvimento de pesquisas e validação da tecnologia em seu campo experimental. As pesquisas já trouxeram à luz alguns resultados envolvendo a produção e o crescimento de forragens, desempenho de novilhos...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!