Avaliação de Carcaça

Por dentro do Nelore

Avaliação

Seleção com uso da tecnologia de ultrassom já identifica no zebuíno animais com uma qualidade de carcaça nunca antes imaginada

Liliane Suguisawa*

A tecnologia tem avançado de forma surpreendente em todo o mundo e na bovinocultura não poderia ser diferente. A ultrassonografia de carcaça, utilizando softwares de interpretação automática de imagens (BIA®), é uma técnica que revolucionará a pecuária de corte brasileira, pois, além da interpretação em tempo real das medidas de Área de Olho de Lombo (AOL) e Espessura de Gordura Subcutânea (EGS), é uma ferramenta exclusiva de mensuração do Marmoreio (MAR - gordura entremeada às fibras da carne que confere suculência e maciez), no “animal vivo”, identificando os indivíduos com potenciais para musculosidade, precocidade de acabamento e carne de qualidade, através dessas características de herdabilidade genética moderada a alta.

Assim, o fenótipo de rendimento, acabamento e qualidade de carcaça, valorizados pelo produtor, indústria frigorífica, consumidor e que traduzem eficiência e qualidade, sofre grande influência da composição genética do animal. Isso nos possibilita selecionar previamente e de forma objetiva, os indivíduos de interesse para reprodução e multiplicação dos “bons fenótipos” e, consequentemente, promover avanço genético rápido aumentando a rentabilidade e lucros do sistema de produção, além de permitir acesso ao mercado de carne gourmet e países importadores exigentes como EUA, Japão e Coreia do Sul.

Os Estados Unidos da América (EUA), por exemplo, foram capazes de aumentar significativamente a média das medidas de carcaça em um período relativamente curto, apenas com a seleção genética guiada pela Ultrassonografia de Carcaça, que...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!