Feno & Silagem

CONFECÇÃO DE SILAGEM

Feno

Técnica exige planejamento para garantir a qualidade e diminuir perdas na produção

Odilene S. Teixeira*, Naiane A. Teixira*, Maria Eugênia A. Canozzi**, Eduardo Lisbinski*, Júlio Barcellos**

A silagem é uma das fontes de volumosos mais utilizadas na alimentação de bovinos de corte em confinamento ou como suplementação em pastagens, principalmente em períodos de déficit forrageiro. Contudo, a conservação dessa forrageira exige um planejamento prévio, com a escolha da cultura, a programação do plantio, a colheita e o armazenamento. Esse, um ponto de grande importância: cumprimento do período que o silo deve permanecer fechado para, então, disponibilizar a silagem aos bovinos.

Vamos focar a discussão em três etapas importantes do processo de ensilagem: a colheita, a compactação e o armazenamento. Além disso, serão abordados os diferentes tipos de silo e seu dimensionamento, de modo a maximizar o valor nutricional da silagem e minimizar as perdas.

O planejamento inicia-se pela escolha do tipo de silo, que dependerá, fundamentalmente, do número de animais que receberão o volumoso, da quantidade de silagem a ser conservada e do maquinário existente na propriedade. No Brasil, os principais tipos de silos encontrados nas propriedades rurais são os silos de superfície (tipo torta e trincheira), utilizados para a conservação de silagem de milho, sorgo e, em menor proporção, de outras culturas.

Esse tipo de silo deve ser estruturado acima do solo, no formato horizontal, em uma superfície com leve declividade, para evitar o acúmulo de umidade. O revestimento do solo pode ser preparado de alvenaria; caso não seja feito, recomenda-se roçar o local para remover arbustos que possam dificultar a retirada da sila...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!