A Voz do Criador

Suplementação de precisão é pura gestão

Há uns cinco anos, o conceito ganhou força entre as empresas de nutrição animal e na Embrapa Pecuária Sudeste, mas alguns percalços na estratégia de divulgação levou a técnica ao rápido esquecimento.

Hoje, ninguém fala mais. Ou talvez, simplesmente, tenha sido incorporada por outras ferramentas, serviços e tecnologias. Os pesquisadores das universidades preferem a denominação “suplementação seletiva”, mas, de qualquer forma, o conceito é atual.

Fornecer sal mineral conforme a categoria animal e época do ano não basta para alcançar o melhor resultado financeiro. A produtividade certamente será superior, mas pode ser que a margem de lucro, não.

Por esse motivo, não deixe de conferir a “Matéria de Capa” que preparamos para você. Imperdível também está a “Entrevista do mês”, na qual Dan Undersander, autoridade mundial em conservação de forragens, compara o trabalho feito nos EUA e no Brasil.

Ainda no quesito “Feno & Silagem”, a seção aponta como o planejamento na confecção de silagem afeta o restante do processo, especialmente, em relação à escolha dos tipos de silos e o dimensionamento desses.

Coroando o tema nutrição, “Leite” mostra como as novas cultivares de Panicum maximum BRS Zuri e BRS Quênia podem ser utilizadas com sucesso na pecuária leiteira. Em estudos no bioma Cerrado elevaram de 10% a 12% a produtividade dos rebanhos.

Boa nutrição associada à boa genética levará a pecuária brasileira para grandes mercados de carne bovina de alto valor agregado. O elemento-chave para essa conquista é apresentada em “Escolha do Leitor”, que trata sobre o uso da avaliação de carcaças na seleção de touros da raça Nelore.

Muito em breve, não será preciso ir tão longe para faturar mais com a venda de carne bovina. Veja em “Mercado” que os consumidores da classe C estão dispostos a pagar mais por um produto de qualidade. Não falamos apenas dos cortes nobres, mas também dos de dianteiro.

Lembramos que uma pequena parcela do boi, cerca de 20%, torna-se cortes premium, e agora há uma fatia de novos clientes dispostos a pagar um pouco mais pelos 80% restantes.

Complementam a edição, “O Confinador” e “Sustentabilidade”. O primeiro discute um tema de extrema relevância à pecuária brasileira, a gestão de alta performance, artigo curioso, por sinal, e o segundo traz um case interessante de Rondônia.

A

Boa leitura!