O Confinador

CASO DE SUCESSO

O

Efeito da suplementação ajustada nos resultados do confinamento da Agropecuária GA, localizada em Damianópolis/GO

Maurício Scoton Igarasi*

Em conversas com pecuaristas ainda é comum o cálculo de quanto se ganhou por boi. Não que essa conta não seja importante, mas necessita de maior cuidado na análise da rentabilidade na engorda. É fundamental levantar quanto tempo foi necessário para obter-se esse lucro (se em 1, 2, 3 ou 4 anos?). Chamo atenção para esse ponto, pois a pecuária necessita ser eficiente. Sabendo disso, a rentabilidade é medida durante um determinado período de tempo (mês). Caímos na economia de escala, ou seja, produzir mais arrobas, em menor tempo, assim, com maior rentabilidade mensal. Esse é o parâmetro utilizado no mercado financeiro, sendo a base de comparação para qualquer investimento (poupança, CDB, bolsa de valores, previdência, etc). Nesse sentido, se poderá ter um lucro alto por boi, mas como se demora muito tempo para ter o lucro, o negócio pode não ser rentável. Na mesma linha, é possível ter um lucro menor por boi, devido aos maiores custos de suplementação e confinamento, mas se com “giro” (tempo de engorda e venda) reduzido, a rentabilidade será maior. É preferível não especificar valores de custos, pois cada fazenda possui uma condição própria e cada uma necessita apurar seus próprios custos de produção para avaliar o nível de intensificação (adubação, suplementação, confinamento, etc).

O

Animais de recria intensiva feita em confinamento da propriedade em 2017

Para descrever a importância do confinamento ser...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!