Sala de Ordenha

Mercado em alta

Depois de oito meses em queda, os preços do leite ao produtor subiram. Considerando a média nacional, houve alta de 1,6% no pagamento realizado em fevereiro, frente ao anterior.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o produtor recebeu, em média, R$ 1,044 por litro, sem o frete.

Apesar da reação, na comparação com fevereiro do ano passado, o preço está 6,0% menor este ano, em valores nominais. Veja a figura 1.

Sala

A demanda reagiu timidamente. Os laticínios vêm subindo os preços dos lácteos no atacado desde fevereiro.

Dentre os produtos pesquisados pela Scot Consultoria, na primeira quinzena de março, as maiores valorizações foram para o queijo minas frescal, o leite longa vida (UHT), o leite em pó integral, o leite condensado e a manteiga. As altas foram de 3,5%, 2,3%, 1,7%, 1,4%, 1,3%, respetivamente, frente à quinzena anterior.

Além disso, diante da forte desvalorização verificada nos últimos meses, as indústrias reajustaram os valores pagos ao produtor na tentativa de manter o fornecedor.

Outro ponto é a queda na produção de leite nas principais bacias leiteiras do País, que ajudou a ajustar a oferta interna e deverá colaborar com um cenário de preços mais firme no mercado daqui em diante.

O mês de dezembro/17 foi o pico de produção. De lá para cá, o volume captado diminuiu. Em janeiro/18, a produção nacional recuou 1,6% frente a dezembro de 2017.

Para fevereiro, os dados parciais apontam para recuo de 2,2% no volume de leite captado no País, em relação a janeiro deste ano.

Para o pagamento a ser realizado em março, referente à produção de fevereiro, 66,0% dos laticínios pesquisados pela Scot Consultoria acreditam em alta do preço do leite ao produtor e 34,0% falam em manutenção frente ao pagame...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!