Sala de Ordenha

Demanda ruim e oferta maior pressionando os preços do leite e derivados

Com a demanda fraca na ponta final da cadeia, os preços do leite ao produtor registraram queda no pagamento de janeiro/18, referente ao leite entregue em dezembro/17.

Figura 1. Cotação média nacional ponderada do leite ao produtor - em R$/litro, valores nominais.

Sala

Do lado da oferta, o pico de produção em São Paulo, Goiás e Minas Gerais em dezembro último colaboram com a pressão de baixa.

Na Região Sul do País, a queda no volume captado nos três estados não foi suficiente para dar sustentação as cotações, diante de um escoamento fraco na ponta final da cadeia nos últimos meses.

Considerando a média nacional ponderada, o preço do leite ao produtor caiu 1,0% no pagamento realizado em janeiro/18, que remunera o leite entregue no mês anterior.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o produtor recebeu, em média, R$ 1,027 por litro, sem o frete, 6,8% menos na comparação com o mesmo período de 2017, em valores nominais. Veja a figura 1.

Com relação a captação, em dezembro/17, a produção nacional cresceu 1,5%, frente ao mês anterior, com peso do pico de produção nos estados do Brasil Central e da Região Sudeste.

Para janeiro/18, os dados parciais apontam para queda de 1,5% na produção nacional, segundo o Índice Scot Consultoria de Captação de Leite.

Daqui para frente, com exceção da Região Nordeste, a tendência é de queda na curva de produção de leite nas principais regiões produtoras, o que deverá de alguma maneira dar sustentação às cotações do leite e derivados. A intensidade desta alta dependerá de como será a reação do consumo interno.

No atacado, as cotações do leite longa vida voltaram a cair na indústria em fevereiro, depois de um ce...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!