Pastagem

ADUBAÇÃO FOLIAR

Pastagem

Uma estratégia de intensificação do sistema produtivo

Leandro Martins Barbero*

O Brasil tem vivenciado desde o ano 2000 um grande sucesso nas atividades agropecuárias. Atualmente é considerado um dos cinco maiores países produtores/exportadores das commodities de açúcar, café, carne bovina, suína e frango, suco de laranja, álcool, soja e milho, e tem-se dentro de uma perspectiva curta um excelente mercado a ser conquistado. Nesse aspecto, a fertilidade do solo e a nutrição de plantas são fundamentais para garantir o aumento de produção de forragem e da produtividade animal.

Para a intensificação do sistema é imprescindível atentar para a adubação de pastagens, visando aumentar a eficiência técnica e econômica do uso dos nutrientes dos fertilizantes e estratégias para a otimização dos sistemas de pastagens. De forma geral, a intensificação em sistemas pecuários consiste na elevação da taxa de lotação das pastagens. Para a obtenção da maior taxa de lotação, deve-se atentar para o aumento em produção de forragem, que é a base do sucesso da atividade, e que deve estar associada aos custos de produção. Inevitavelmente, para um pasto ser mais produtivo, há a necessidade de ele estar melhor nutrido, ou seja, há a necessidade de reposição de nutrientes via adubação.

Diante do exposto, o manejo da fertilidade do solo e da nutrição mineral de plantas em ecossistemas de pastagens apresenta-se como ferramenta fundamental para manutenção da qualidade, produtividade e perenidade dessas áreas. São comuns os relatos na literatura dos processos de degradação de pastagens em que, entre as principais causas, encontram- se a redução da fertilidade do solo, principalmente com a perda de macro e micronutrientes.

Quando ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!