Escolha do Leitor

Presente e futuro da DEP no BrasilPresente e futuro da DEP no Brasil

Escolha

Letícia Mendes de Castro*, Luís Gustavo Figueiredo*, Fernando Baldi* e Raysildo Barbosa Lobo**

Com o objetivo de alavancar a produtividade, o pecuarista brasileiro sempre buscou ferramentas tecnológicas que o auxiliassem a atingir as suas metas. O mercado, cada vez mais exigente, requer animais sempre mais produtivos e em um menor intervalo de tempo, e a maneira mais eficiente para atingir essa demanda e se manter competitivo é selecionar os animais geneticamente superiores.

A história da seleção de animais produtivos no Brasil, com o propósito de fornecer produto de alta qualidade e ao mesmo tempo propiciar uma maior rentabilidade ao pecuarista, tem longa data. Já em 1951, por exemplo, o Instituto de Zootecnia da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo deu início à primeira prova de ganho em peso no País, método utilizado para realizar a seleção genética de bovinos de corte com o objetivo de identificar futuros reprodutores.

Algumas ações isoladas de criadores na seleção de bovinos com critérios objetivos surgiram, principalmente, no início da década de 1960, com anotações de nascimento, genealogias, pesagens mensais, estabelecimento de estação de monta e nascimento.

Na década de 1970, ocorreram os primeiros testes de progênie realizados no País, nos quais eram avaliados reprodutores pelo desempenho de suas progênies, com o objetivo de identificar animais geneticamente superiores para características ponderais. Nessa época, havia pouco interesse dos criadores nos testes de progênie por não conhecerem as vantagens dessa tecnologia. Somente nos anos 1980, com uma visão mais abrangente do mercado e de seu potencial pelo pecuarista, foram cr...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!