A Voz do Criador

O mundo fora dos containers

Dentro de containers, a carne brasileira é exportada para mais de 150 países e, fora deles, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) calcula que o embarque de bovinos vivos por meio de portos e aeroportos chegou a 400 mil cabeças em 2017, um crescimento de 42%. O destino mais frequente tem sido os Emirados Árabes.

Trata-se de uma clientela que adora carne fresca, mas não pense o leitor que falamos de zebu. Eles preferem gado mais europeu ou um meio-sangue, que carrega uma boa dose de taurino. A Turquia respondeu sozinha por 55,2% dos embarques, seguida pelo Egito, com 13,9%, e da Jordânia, com 9,6%, mostrando-se, mais uma vez, um negócio deveras promissor à pecuária brasileira.

Apesar de nem arranhar os números de abate no Brasil, é o suficiente para incomodar os grandes frigoríficos, principalmente aqueles que estavam freando as compras. No ápice da Carne Fraca, o preço do quilo vivo do bezerro meio-sangue Angus beirou os R$ 4, na bacia das almas. Depois que os turcos saíram às compras, superou os R$ 6. Para conhecer um pouco mais sobre esse mercado, não deixe de conferir nossa matéria de capa.

Sem “Genética”, nada disso seria possível, então, veja nessa seção uma pitada de como a genômica poderia ajudar o plantel nacional a superar seus próprios limites. Agora, se quiser saber mais a fundo como essa história começou, não perca também nossa “Entrevista do mês” com o professor José Fernando Garcia, pioneiro nos estudos do Genoma Nelore.

Complementando o famoso “tripé” da pecuária de resultados, “O Confinador” apresenta as vantagens ao se promover um planejamento nutricional dos animais; e “ILP” ratifica que gado criado em pastagem originada de integração lavoura-pecuária ganha mais peso. Veja ainda informações iniciais sobre um projeto que objetiva testar zebuínos leiteiros na realidade do Brasil Central, em “Leite”; e a chegada do conceito da mistura múltipla na “Caprinovinocultura”.

Sem um bom manejo ou uma gestão bem-feita não é possível colher os louros citados até aqui, então, “Escolha Leitor” e “Gestão” são leituras obrigatórias. Conheça dicas importantes para o manejo de curral e algumas métricas imprescindíveis a quem deseja produzir gado de corte. Agora, como nem tudo são flores, “Tributação” discorre sobre o projeto de lei que ressuscita o famigerado “Funrural”. Aguarde algumas novidades que a Revista AG trará para você!

A

Boa leitura e um ótimo 2018!