Feno & Silagem

AUTOCONSUMO

Feno

Sistema de oferta constante de alimento reduz a concorrência e a disputa dos animais na suplementação a pasto

Danielle Dias Brutti*, Júlio Barcellos**, Maria Eugência A. Canozzi***

A produção de bovinos no Brasil parte de práticas alimentares bastante variáveis em função do solo e do clima, especialmente entre os diferentes biomas em que a atividade é desenvolvida. Os sistemas de produção desenvolvidos em pastagens representam a forma mais sustentável e de baixo custo que existe, em virtude da utilização de forma equilibrada de recursos já existentes na propriedade. Contudo, devido aos efeitos climáticos como secas, excesso de chuvas, frio e calor, as pastagens não mantêm a disponibilidade e a qualidade durante todo o ano. Com isso, invariavelmente, ocorre uma diminuição no desempenho animal e baixa produtividade no sistema. Assim, a suplementação a pasto tem sido amplamente utilizada pelos pecuaristas.

Figura 1 - Consumo esperado de bovinos em pastejo, suplementado com e sem limitador de autoconsumo

Feno

A obtenção de altos rendimentos de bovinos em pastejo não é tarefa fácil, pois depende do consumo e do valor nutritivo do alimento disponível. Dessa forma, para garantir maior produtividade nos sistemas a pasto, a redução no ciclo produtivo só será alcançada com um aporte nutricional extra entre as lacunas sazonais da produção das pastagens. Assim, as estratégias de suplementação constituem a principal tecnologia para implementar os índices zootécnicos e econômicos do sistema. Portanto, nos sistemas de produção já bem estabelecidos, a suplementação é o adic...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!