O Confinador

QUANDO DEVO ABATER O BOI? A PERGUNTA QUE VALE OURO

O

O confinamento não pode ultrapassar 90 dias: talvez essa seja uma das maiores falácias da produção animal

Adriano Jorge Possamai*

A linha de produção de carne em um confinamento poderia ser encarada como um mapa do tesouro, que se inicia na compra e entrada dos animais, passando por todas as etapas e eventuais desafios operacionais, finalizando a produção com a comercialização, o abate e o recebimento dos animais.

A margem de lucro é dependente, na ordem de 70 a 75% do preço dos bois magros (@ de entrada), 20 a 25% dos custos nutricionais e 5 a 10% dos custos operacionais e sanitários, entre outros. Nesse sentido, o confinador vivencia de fato, nos últimos anos, um achatamento das margens de lucro na operação, que são ditadas pelo aumento nos custos operacionais, cerca de duas vezes maior que o aumento no valor do boi gordo nos últimos 12 anos (Carvalho e Zen, 2017) e incremento no ágio pago no boi magro.

Dessa maneira, ferramentas de gestão dos dados permitem maior precisão no planejamento e na execução das atividades no confinamento, sendo de extrema importância pontuar que toda informação só é útil se pudermos utilizá- la para auxiliar ou dar suporte a uma tomada de decisão.

É necessário cautela, no entanto, pois, ao trabalharmos com muitos indicadores, incidimos no risco de possuirmos muitos dados nas mãos, mas com baixa expectativa de usá-los de forma eficiente, além de que essas informações podem apresentar, em alguns casos, confiabilidade reduzida. Porém, por que falar de dados, quando a temática proposta no artigo é ponto ótimo de abate dos animais?

Tabela 1 - Diferença entre custo de @ produzida e lucratividade em função do prolongamento do...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!