Pastagem

ROTACIONADO

Pastagem

Intensificação da produção por área é uma das grandes vantagens

Pedro Henrique Lopes Lorençoni*

No Brasil, aproximadamente 180 milhões de hectares são ocupados por pastagens. Porém, em contrapartida, mais da metade delas apresenta algum estágio de degradação, boa parte, avançado. Uma das alternativas para que o produtor rural consiga reverter essa situação, é o pastejo rotativo, também conhecido como pastejo rotacionado.

Esse sistema permite que se intensifique a produção por área, tornando a atividade pecuária (produção de carne ou leite) tão rentável quanto as atividades agrícolas. Para isso, usa-se a técnica de dividir a área de pastagem em piquetes de menor tamanho (que depende da espécie/cultivar de capim que está implantada ou vai se implantar e da quantidade de animais que irá pastejar essa área). Utilizando-se dessa técnica, o produtor consegue aproveitar melhor a forragem produzida (diminui as perdas), que propicia ter mais animais por área, aumentando a produção por hectare. Além disso, o sistema rotacionado permite oferecer aos animais uma forragem de melhor qualidade (ponto ideal de entrada dos animais para pastejar a forragem – onde os picos de qualidade e produtividade se encontram em equilíbrio).

Pastagem

O produtor deverá optar por trabalhar com sistema rotacionado quando ele verificar que precisa aproveitar melhor a forragem

Não há um calendário definido de quando deve ser feito o planejamento para implantar um sistema de pastejo rotacionado, como se tem para plantar soja ou milho, que se não for feito até determinada data, corre-se o...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!