Feno & Silagem

SUPLEMENTAÇÃO

Feno

Estratégias para melhorar a qualidade de fenos e palhadas com forrageiras de baixa qualidade

*Everton D. Sartori, **Eduardo Lisbinski, ***Maria Eugênia A. Canozzi e ****Júlio Barcellos

O feno e as palhadas são excelentes alternativas de complementação dos volumosos em períodos de escassez de forragens na alimentação do gado de corte. A utilização desses produtos, invariavelmente não segue um planejamento criterioso por parte do pecuarista, quando deveria prever a sua utilização e, com isso, primar pela qualidade. Assim, a utilização desse tipo de forragem conservada ocorre em situações de contingência e, portanto, abrindo-se mão dos aspectos relativos à qualidade do feno.

Os fenos podem, muitas vezes, não apresentar qualidade adequada, pois o pecuarista, em determinadas condições, elabora fenos proveniente de plantas com estádio fisiológico mais avançado. De outra parte, quando utiliza restos de cultivos, como as palhas de arroz, trigo, aveia, azevém ou da colheita de sementes de forrageiras no Centro-Oeste, como premissa, já está marcada a baixa qualidade do alimento. Além disso, deve-se considerar que a baixa qualidade pode se dar, até mesmo, por situações de insucesso no processo de fenação.

As plantas mais velhas apresentam menor conteúdo de material potencialmente digestível, pois durante o crescimento da planta ocorrem alterações químicas que resultam na elevação de compostos estruturais, tais como a hemicelulose e a lignina e, consequentemente, ocorre a diminuição do conteúdo celular. Além disso, apresentam reduções nos níveis de proteína, podendo ficar abaixo de sete por cento de proteína bruta (<7,0% PB), sendo esse valor considerado como nível crítico para o desenvolvimento dos microrganismos rumi...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!