Falou

 

Prático e sustentável

O diretor executivo da Prático de Garça, Gabriel Kerbauy, mostra o engajamento da empresa a favor da sustentabilidade na pecuária

“Depois de 20 anos de uso, um cocho da Prático poderá ser reformado para a reutilização na fazenda”

Revista AG – Recentemente, a Prático de Garça, em parceria com a Embrapa, comercializa uma tecnologia que visa facilitar o manejo da pastagem. Quais soluções esse produto traz ao pecuarista?

Gabriel Kerbauy - A Réguade Manejo de Pastagens é uma ferramenta usada para gerenciara altura das pastagens. Utilizando uma escala de cores verde e vermelho, a régua mostra qual é o momento ideal para que os animais entrem ou saiam do pasto ou quando aumentar ou diminuir a
lotação em pastejo contínuo. De acordo com pesquisas realizadas na Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande/MS, os pesquisadores conseguiram determinar as melhores alturas para oito espécies de pastagens entre panicuns e braquiárias. Com esse instrumento, o criador pode aproveitar melhor a oferta de pastagens, sem fazer perder seu potencial de rebrote.

Revista AG – Avaliar corretamente o escore corporal é um método para otimizar a reprodução nas vacas ou ganho de carcaça nos machos. Portanto, que ferramenta a Prático disponibiliza aos produtores para ajudar nessa questão?

Gabriel Kerbauy - Em parceria com a Embrapa de Porto Velho/RO, a Prático de Garça lançou neste mês o Vetscore, que se trata de um instrumento para medir o escore corporal a partir da garupa do animal. O produto é usado para medir escore corporal de vacas que irão entrar em período reprodutivo e irão ingressar no protocolo de IATF. O instrumento utiliza uma escala de cores (Amarelo/Verde/Vermelho), para medição. De acordo com a abertura do dispositivo, ele indicará se a vaca está com escore corporal baixo, adequado ou alto para reprodução. Vacas com baixo escore corporal precisarão ser nutridas especificadamente, enquanto as fêmeas com alto escore precisarão de uma dieta balanceada para perder peso.

Revista AG – As companhias são cada vez mais pressionadas a desenvolver produtos sem exaurir recursos naturais. Esse conceito de sustentabilidade faz parte da filosofia da empresa?

Gabriel Kerbauy - Faz parte das nossas atividades diariamente. Nossos comedouros para bovinos possuem 30% dos componentes produzidos com material feito a partir de lixo plástico. O nosso maior apelo em sustentabilidade é para que os cochos resistam por muito tempo, não precisando ser substituídos com frequência como ocorre com cochos de plástico convencional (bombona cortada), além de não gerar resíduos nos pastos. Depois de 20 anos de uso, um cocho da Prático poderá ser reformado para a reutilização na fazenda. Fazemos também parte de um grupo chamado Ecoar, que se trata de uma parceria entre empresas e idealizadores para realizar reflorestamento. Somente a Prático de Garça já adotou o plantio de mais de 5 mil árvores aqui em nossa região, sendo que o grupo já conta com mais de 500 mil árvores plantadas.

Revista AG – Quais as vantagens de se utilizar um cocho móvel na propriedade?

Gabriel Kerbauly - A maior vantagem do cocho móvel é que não se precisa mais possuir uma estrutura de cocho por cada pasto e sim por lotes de animais. Os cochos Prático de Garça podem ser realocados em qualquer lugar da propriedade somente com a ajuda de um trator. O produto possui um reservatório, assim evita que seja necessário manter uma bomba cheia de suplemento do lado do cocho ou que o tratador tenha de abastecer diariamente.