Ovinocultura

 

Projeto para agregar valor à produção

Família investe em agroindústria para produzir e comercializar a carne de cordeiro

Denise Saueressig
denise@revistaag.com.br

Diante de uma cadeia que ainda carece de organização, iniciativas de empreendedores fazem toda a diferença para dar impulso à produção. Em Panambi, município do Noroeste do Rio Grande do Sul, a família Bronzatti resolveu investir em uma estrutura própria para comercializar a carne de cordeiro.

Inaugurada no mês passado, a agroindústria Laranjeiras é a primeira da cidade a trabalhar com o abate de ovinos. Tradicionalmente, a região não está entre aquelas que têm grandes rebanhos no estado gaúcho, mas agora já dá sinais de aquecimento da atividade.

Os Bronzatti iniciaram a criação de ovinos em 2005 para que os animais ajudassem no manejo dos pomares de laranja. Especialmente entre as árvores mais antigas, os ovinos permanecem durante meio dia, fazem a limpeza do terreno e auxiliam na adubação. “Assim, não precisamos de roçada e herbicida para eliminar as plantas invasoras”, explica o produtor Gelson Luís Bronzatti.

Estrutura própria de confinamento permite a terminação dos cordeiros com peso para o abate em média de 40 quilos

O interesse pela atividade cresceu e a família percebeu que a ovinocultura poderia representar o incremento e a diversificação da renda. Hoje o rebanho é formado por 240 matrizes da raça Texel e dois carneiros PO. Os cordeiros são terminados em uma estrutura própria de confinamento e são abatidos com peso médio de 40 kg.

Cortes são comercializados em ponto de venda fixo no município e também por meio de encomendas diretas

A ideia de formar a agroindústria foi amadurecida nos últimos dois anos, conta Bronzatti, que trabalha nos negócios junto com o pai, Dary, e o irmão, Emerson. “Pensamos que era hora de investir para impulsionar a produção”, destaca.

Além da integração dos ovinos com os pomares, a família trabalha na lavoura de soja, milho, trigo e aveia-branca. Os 13 hectares de frutas rendem uma produção, em média, de 150 toneladas/ ano de laranja, bergamota e limão.

O projeto da agroindústria foi estruturado junto à prefeitura de Panambi e à Emater/RS, que é executora do Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf). Por meio do apoio oficial, os produtores receberam auxílio nas questões que envolvem crédito, licenciamento ambiental e informações legais e tributárias. O programa também inclui treinamento em boas práticas de fabricação para qualificar o negócio. Uma parte do valor necessário para o investimento foi bancada com recursos próprios. A outra foi financiada pelo Pronaf Mais Alimento com prazo de pagamento de dez anos.

Variedade de cortes

Por enquanto, a agroindústria pode comercializar os cortes de carne com o Selo de Inspeção Municipal (SIM) e com o certificado Sabor Gaúcho, vinculado ao Governo do Rio Grande do Sul. “Com a continuidade do trabalho e algumas adequações, podemos pensar inclusive em vender para outros locais do estado”, salienta Bronzatti.

Inicialmente, a estrutura da agroindústria tem capacidade para o abate de 1 mil cordeiros/ano. Além dos animais da propriedade da família, parcerias com outros produtores estão em formatação. “Já recebemos ligações de pessoas interessadas e acreditamos que o projeto vai ajudar a movimentar a cadeia da ovinocultura na região”, observa o produtor.

A agroindústria Laranjeiras está trabalhando com uma grande variedade de cortes ovinos. Entre as opções estão filé mignon, carré, chuleta, picanha, fraldinha, maminha, pescoço, pernil, paleta, lombo, miúdos, linguiça, carcaça inteira e meia carcaça resfriada.

O ponto de venda fixo fica junto à Feira do Produtor de Panambi, mas a família aceita encomendas para entregas na casa do consumidor. “Também estamos buscando contatos com supermercados para avaliarmos a possibilidade de expandir a comercialização. No entanto, sabemos que esse não é um mercado consolidado. A procura ainda é muito restrita ao final de semana, para o churrasco”, conclui Bronzatti. Uma das ideias da família, segundo o produtor, é a realização de eventos de degustação para divulgar as qualidades da carne.