Sala de Ordenha

 

Mercado virou desde julho

Os preços ao produtor subiram 6,0% no pagamento de julho, referente à produção entregue em junho. A média nacional ficou em R$ 1,174 por litro, segundo levantamento da Scot Consultoria.

Em relação a julho do ano passado, o leite subiu 21,6%, em valores nominais, veja na figura 1.

A concorrência entre os laticínios pela matéria-prima foi o principal fator de alta de preço no mercado interno no primeiro semestre, visto que a demanda não vai bem.

No entanto, desde julho o mercado deu sinais de que virou, com quedas nos preços do leite spot e produtos lácteos no atacado.

Mudança de cenário

No mercado spot, ou seja, o leite comercializado entre as indústrias, os preços caíram na primeira quinzena de agosto.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, em Minas Gerais e em São Paulo, os preços médios ficaram em R$ 1,84 por litro, considerando o preço posto na plataforma. Para uma comparação, em julho, os valores chegaram a R$ 2,20 por litro.

Na Região Sul, os preços variaram de R$ 1,65 a R$ 1,75 por litro na segunda metade de julho.

Outro ponto é que, no mercado atacadista, considerando a média de todos os produtos pesquisados, os preços dos lácteos também caíram nas últimas quinzenas. A queda foi de 0,9% na primeira metade de agosto, em relação ao fechamento de julho.

O preço do leite longa vida caiu 3,8% no período e ficou cotado, em média, em R$ 3,34 o litro nas indústrias.

Figura 1 - Preço do leite ao produtor (média nacional ponderada) em R$/litro, em valores nominais

Fonte: Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br

Para a segunda quinzena de agosto, dos laticínios pesquisados, 80% acreditam em queda do preço do litro do longa vida. Os 20% restantes falam em manutenção das cotações no período.

Considerações finais

Apesar do aumento da produção nos últimos dois meses, em julho o Índice Scot de Captação apontou para uma oferta 4,6% menor, em relação a igual período do ano passado, considerando a média nacional.

Em curto prazo, a produção deverá aumentar no Sul do País e principais bacias da Região Sudeste, mas os incrementos deverão ser comedidos, em função dos menores investimentos e gastos por parte do produtor na atividade, além de questões climáticas.

De qualquer maneira, a expectativa é de que a pressão de baixa ganhe força daqui para frente, inclusive com quedas previstas para o produtor já no pagamento de agosto (produção de julho).

Para setembro (leite entregue em agosto) a maioria dos laticínios pesquisados aponta para queda no preço do leite ao produtor.

Os preços devem seguir em queda também no mercado spot, atacado e supermercados.

Para o produtor, as preocupações ficam por conta dos custos de produção, que seguem em patamares elevados. Com as quedas previstas no preço do leite, a margem deverá continuar se estreitando.

Em agosto, os custos da atividade subiram 1,1%, na comparação mensal, segundo o Índice Scot Consultoria de Custo de Produção da Pecuária Leiteira. Em relação a agosto de 2015, a alta é de 24,4%.

Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria


Warning: getimagesize(/revistas/ag/imagens/id_425/200sala+de+ordenha_1.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/a/fb/47/edcentaurus/public_html/edcentaurus/application/controllers/AgController.php on line 441