Escolha do Leitor

 

Manejo pré-parto

Vacas boas bem criadas produzem excelentes terneiros

Marcelo Valente Selistre*

Para tratar do manejo pré-parto da vaca de corte, é válido começar com um conceito bem básico: todo o criador deve ter a informação clara de que a função da vaca é produzir um bom terneiro por ano. A vaca de cria deve se manter gorda, bonita e saudável sempre, os doze meses do ano. Quem consegue isso, certamente, tem uma pecuária altamente produtiva, em quantidade e qualidade.

Primeiramente, falamos no aspecto sanitário, que é básico, mas imprescindível. Um bom planejamento sanitário é fundamental para manter a saúde da vaca. É necessário um excelente controle de endo e ectoparasitas; do contrário, as perdas serão inestimáveis. Parasitas roubam-nos preciosos quilos. Quando conhecemos uma região livre de carrapato, por exemplo, encontramos animais com aspecto saudável, com melhor desenvolvimento. É impressionante a diferença. Aqui, vale reforçar o controle da Tristeza Parasitária Bovina, proveniente do carrapato, que causa aborto e é uma das maiores causas de morte em bovinos.

Ainda sobre sanidade, precisamos nos preocupar, principalmente, com as doenças diretamente ligadas à reprodução, como a IBR e BVD, que trazem perdas no início da gestação, mas podem se manifestar a qualquer momento. Porém, a enfermidade mais preocupante no final da gestação é a Leptospirose, que se revela através do aborto, especialmente no terço final da gestação. Essas enfermidades devem ser controladas através de um calendário de vacinação, que, normalmente, para vacas adultas, uma dose anual é suficiente, sendo que em regiões mais endêmicas são necessárias mais aplicações. A melhor recomendação é falar com um veterinário capacitado nesse assunto. A Brucelose é outra doença reprodutiva importante, cuja vacinação é obrigatória. Apenas uma dose nas fêmeas de quatro a oito meses de idade.

Em visita à fazenda comercial Fulton Family foi possível ver uma excelente manutenção de vacas a campo, mesmo no inverno

Na questão nutricional, é fundamental manter um bom Escore de Condição Corporal (ECC) sempre. É um grande desafio, pois as vacas de corte são criadas extensivamente, alimentam-se apenas de pasto e assim deve ser. Normalmente, o gado de cria é destinado às piores áreas de pastagem, a prioridade é a terminação. É aceitável, porém, é preciso um intenso controle de oferta de forragem o ano inteiro, seja através de ajuste de lotação, formação de áreas para essa categoria específica, fornecimento de feno em determinadas épocas do ano e, às vezes, uma suplementação proteica para o melhor aproveitamento das fibras. Mas a vaca não pode passar fome, não pode perder e ganhar peso de acordo com a época do ano. Se a vaca perde peso, não é por opção dela, a falta de alimento é de responsabilidade do produtor. Inclusive, aqui cabe o principal fundamento de bem-estar animal, que é muito mais do que apenas não bater nos animais e ter instalações adequadas, mas também oferecer as condições adequadas para a sobrevivência dos mesmos.

Na pecuária moderna, eficiente, de ciclo curto, os cuidados com a gestação da vaca tornam-se cada vez mais importantes

Na pecuária moderna, eficiente, de ciclo curto, os cuidados com a gestação da vaca tornam-se cada vez mais importantes. Considerando que um novilho é abatido até os 18 meses, um terço da vida do animal é dentro do ventre da vaca. E essa etapa é fundamental para a formação de animais eficientes, produtivos. O desenvolvimento muscular ocorre em maior parte no estágio fetal. Após o nascimento, não há formação de novas fibras musculares. Elas só aumentam de tamanho. O mesmo ocorre com o tecido adiposo, a gordura, a formação de células adiposas, que ocorrem dentro do útero. Ou seja, a nutrição adequada da vaca durante a gestação é fundamental para a formação do bom novilho. É esse período que determina o rendimento de carcaça, acabamento e, principalmente, o marmoreio, tão falado nos dias de hoje. A carne de qualidade é formada ainda no ventre da vaca! É o que aprendi com o pesquisador e professor Min Du, da Washington State University, EUA. Hoje, já se fala em nutrição da vaca para a produção de carcaça de qualidade! Entretanto, o que enxergamos pelo Brasil afora, via de regra, são muitas vacas magras... Muitos sabem e poucos praticam.

A mineralização da vaca de cria faz parte da nutrição adequada. O fornecimento de sal mineral ajuda nas funções vitais, colabora muito com a fertilidade e reduz quase totalmente a retenção de placenta, que, no mínimo, atrasa o intervalo entre partos, mas pode causar infecções graves e até hemorragias, que, em casos severos, pode levar a óbito.

A nutrição apropriada da vaca determina também a eficiência reprodutiva. A matriz com melhor ECC tem recuperação pós-parto mais rápida, melhores chances de reconceber, diminuindo o intervalo entre partos e, assim, consegue melhores taxas de prenhez. A condição corporal pré-parto da vaca é determinante para o bom seguimento na reprodução.

Contando que o dever de casa está feito, o controle sanitário e nutricional, é conveniente manter as vacas prenhas separadas das demais categorias de gado, mantê-las em um potreiro que seja de fácil acesso dos campeiros, preferencialmente, um campo mais limpo; se possível, livre de valos e sangões para evitar perda de terneiros; e que seja revisado diariamente. Para as novilhas de primeira cria, é importante a revisão duas vezes ao dia. Algumas fazendas grandes têm potreiros menores, adequados, que chamam de maternidade e, normalmente, possuem um centro de manejo simples para o atendimento de partos distócicos e aproveitam para fazer a cura do umbigo e identificação do terneiro. Dessa forma, trazem as vacas “chegadas a dar cria” ou “amojando” para a maternidade, que saem para outros potreiros após o parto, conforme o desenvolvimento do terneiro, liberando o espaço para novas vacas “amojando”. Dessa maneira, consegue-se uma atenção especial à vaca pré-parto, independentemente da quantidade de animais, evitando perdas e com controle total da categoria.

Geneticamente falando, todo o criador é um selecionador de gado, pois quando decide quais vacas vai inseminar ou entourar, está escolhendo o perfil genético que seguirá na produção. Sabendo que cada vaca é uma unidade de produção da fábrica de terneiros, é preciso selecionar características funcionais de uma boa fêmea. A boa vaca precisa manter uma excelente condição corporal o ano inteiro, para poder reproduzir, amamentar, ter bons úberes e aprumos, independentemente de raça. Quando vai escolher o touro, também define o padrão de animais que deseja produzir.

A mineralização da vaca de cria faz parte da nutrição adequada

Os bons touros têm avaliação genética que gera as suas DEPs (Diferença Esperada de Progênie). Aí encontramos informações valiosas, inclusive, informações maternais. Como exemplo da raça Angus americana, temos informações de Facilidade de Parto Direta, Peso ao Nascer, importante para novilhas, Probabilidade de Prenhez das Filhas, que indica o percentual de filhas que ficam gestantes até os quatorze meses de idade em relação à média da raça, Facilidade de Parto das Filhas, que é a seleção de vacas que parem facilmente, sem auxílio, produção de Leite, até peso e altura da vaca adulta. Ou seja, já no acasalamento, o produtor pode decidir, com critérios objetivos, o biótipo animal que vai produzir, que pode interferir muito no manejo pré-parto das futuras vacas. O criador americano trabalha muito esse conceito, de produzir genética “sem problemas”, ou seja, vacas que fazem o seu trabalho ano a ano, com a menor mão de obra possível, a campo, naturalmente, como deve ser.

Como exemplo prático, devemos nos espelhar em fazendas de sucesso. É o que se vê no Beef Tour, que é um roteiro de visitas em diversas fazendas nos Estados Unidos. Procura-se mostrar genética, manejo, nutrição, enfim, muito do que foi citado anteriormente. Como exemplo, destaco fazendas como a LT Ranch e Fulton Family, em Dakota do Sul, e a Schaff Angus Valley, em Dakota do Norte. Essas propriedades trabalham com uma excelente manutenção de vacas a campo durante todo o ano. Mesmo no inverno (com quatro meses de neve), as vacas são mantidas com feno, sem perder condição corporal.

Novamente, a função da vaca é produzir um bom terneiro por ano. A vaca que não estiver cumprindo essa função está mal, não está atingindo a meta. A vaca que não cumprir esse objetivo não pode seguir reproduzindo. Para isso, devemos considerar que as condições básicas de criação estão sendo atendidas, em que a responsabilidade total é do produtor.

Uma dica prática: faça as coisas simples, mas faça o simples bem feito.

Boas vacas, bem criadas, produzem excelentes bezerros!

*Marcelo Selistre é médicoveterinário e gerente de Produto Corte Europeu da ABS Pecplan

Esta reportagem foi escolhida pelo leitor da Revista AG, que votou por meio da Newsletter Agronews. Aproveite agora e escolha entre as três reportagens que estão em votação a que você prefere ver estampada nas páginas de nossa revista. Caso ainda não receba a newsletter, cadastre-se no site www.revistaag.com.br


Warning: getimagesize(/revistas/ag/imagens/id_425/escolha+do+leitor_1.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/a/fb/47/edcentaurus/public_html/edcentaurus/application/controllers/AgController.php on line 441