Caindo na Braquiária

 

De olho no bezerro

Alexandre Zadra

Recostado no tronco à sombra do enorme Jatobá, eu botava reparo no comportamento dos bezerros de mês que, pela primeira vez, deparavam-se com o cercadinho quadrado feito de lascas e cinco fios de arame liso em três lados dele como na cerca normal, onde, em um dos quatro lados, encontram-se somente lascas separadas 40 cm umas das outras, permitindo a passagem dos jovens animais entre os vãos, deixando suas mães a ver navios do lado de fora.

De acordo com os especialistas em nutrição, o creep feeding, nome dado a essa área de acesso restrito aos bezerros até a desmama, tem a finalidade de suprir a demanda alimentar dos mesmos a partir dos 60 dias de vida, já que suas mães, depois desse período, diminuem a produção de leite e as exigências dos bezerros aumentam com seu crescimento exponencial, até serem desmamados.

Bezerros suplementados com ração específica na quantidade de 0,5 a 1% do seu peso vivo, diariamente, a partir dos 45 dias de vida, segundo inúmeros trabalhos de pesquisa, apresentam um ganho extra de até 35 kg no peso à desmama, quando comparados a outros que receberam apenas o leite das mães.

Na prática, o criador investe em torno de R$ 70,00 no período (100 kg de ração com o custo em torno de R$ 0,70/kg), obtendo um retorno de R$ 180,00 em cada bezerro desmamado, considerando que o valor médio do kg do bezerro encontra-se em R$ 6,00 (entre machos e fêmeas), perfazendo, assim, um lucro bruto aproximado de R$ 110,00 por bezerro desmamado.

Conforme estudos do prof. Nenê Silveira, grande nutricionista e um dos maiores pesquisadores da área, vale muito a pena suplementar os bezerros nessa fase da vida, pois o retorno é cinco vezes maior que alimentá-lo ao final da vida. Suas pesquisas demonstraram que a conversão alimentar de um bovino até a desmama gira entre 2 e 2,5 kg de MS ingeridos para o ganho de 1 kg de peso vivo. Já na juventude, um bovino consome em torno de 6 kg de MS para ganhar o mesmo kg de peso, enquanto que, após os 14 meses de idade, para que o gado ganhe 1 kg de peso, tem de comer de 8 a 12 kg de MS. Dessa forma, concluiu-se que a arroba mais barata a se produzir em um bovino é aquela feita até a desmama.

Muitos criadores ficam reticentes em adotar a técnica por diversos motivos. Elencamos como o principal a falta de mão de obra adequada, pois é imperativo que seja ministrada a ração no cocho do creep feeding na quantidade suficiente para o consumo diário do grupo de bezerros daquele pasto, mantendo o alimento sempre fresco e seco, caso ocorram chuvas e os cochos sejam descobertos, como em muitos casos.

Em fazendas em que a pecuária divide espaço com a vida silvestre, a competição pelo alimento no cocho fica exacerbada, podendo haver alguma perda no processo, mas, mesmo assim, com zelo e mão de obra cuidadosa obtêm-se os resultados esperados nos bezerros.

Como todo creep localiza-se na área de lazer das vacas, beirando a aguada e o cocho de sal, o costume de adentrar ao creep torna-se natural pelos bezerros, havendo também tentativas de adentrar no cercado por parte das mães primíparas, acostumadas a entrar quando eram bezerras, as quais mesmo ajoelhando-se são impedidas por dois fios de arame liso que unem todas as lascas do lado aberto. Um fio trava a parte alta das lascas, a 1,20 m de altura e o outro, a parte baixa, a 20 cm do chão.

A não adesão por parte de alguns produtores às vezes encontra guarida na seguinte afirmação: “não adianta nada dar ração aos bezerros se eles não forem recriados também com suplementação no pasto, pois depois da desmama perderão todo o ganho extra que tiveram até lá”. Tal assertiva tem um fundo de verdade quando pensamos em uma recria totalmente a pasto, na qual os animais são desmamados na boca da seca.

Essa realidade de campo nos arremete a mantermos os garrotes e as novilhas a pasto com suplementação alimentar na busca pelo potencial máximo de crescimento, ou então, no caso dos cruzados de alto potencial genético desmamados acima de 280 kg, podemos ainda confiná-los por até 150 dias, abatendo-os com até 13 meses de idade, com carcaças acima de 250 kg.

Já diria Edson, administrador da Paquetá, “Zadra, se eu desmamar um bezerro com 40 kg a mais que é a média que consigo nos animais cruzados alimentados no creep, quantos dias a menos ele ficará na Paquetá?”. E com a lucidez que sempre lhe foi cabível, ele mesmo respondeu “80 dias a menos, Zadra, pois no final da vida de um boi, o mesmo ganha 500 g/dia de peso, ou seja, se eu colocar 40 kg a mais em um bezerro, gastando nem R$ 70,00 por cabeça, retiro-o da segunda seca da vida, justamente na época pior de pasto. Temos, dessa maneira, dois ganhos com o creep, maior precocidade e, assim, giro de capital e maior saúde nas minhas pastagens vedadas na seca”.

Alexandre Zadra - Zootecnista zadra@crigenetica.com.br


Warning: getimagesize(/revistas/ag/imagens/id_392/caindo+na+braqui_2.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/a/fb/47/edcentaurus/public_html/edcentaurus/application/controllers/AgController.php on line 441